Premiação

Documentário sobre a ditadura brasileira vence o festival 'É Tudo Verdade'

Libelu - Abaixo a Ditadura, de Diógenes Muniz, reconstitui a história do grupo Liberdade e Luta, que pediu o fim do regime autoritário nos anos 1970

Por Estadão Conteúdo
Publicado em 04 de outubro de 2020 | 21:27
 
 
 

A política deu o tom na premiação da competição brasileira do 25º Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade, na noite de domingo, 4.

Libelu - Abaixo a Ditadura, de Diógenes Muniz, venceu como melhor filme e o júri integrado por Francisco César Filho, Ignácio de Loyola Brandão e Cristiana Grumbach atribuiu duas menções - a Segredos do Putumayo, de Aurélio Michiles, e Fico Te Devendo Uma Carta do Brasil, de Carol Benjamin, os dois abordando a questão dos direitos humanos no País, no período áureo do ciclo da extração da borracha na Amazônia e durante a ditadura militar.

Libelu reconstitui a história do grupo Liberdade e Luta, pioneiro a gritar Abaixo a Ditadura nas manifestações dos anos 1970 e mais tarde originária da tendência O Trabalho, do PT.

Na competição internacional, o júri integrado por Jorge Bodanzky premiou Colectiv, de Alecxander Nanau. Um incêndio na boate com esse nome produziu dezenas de mortos e centenas de feridos em Bucareste. O filme é sobre organização jornalística independente que investiga o assunto e descobre, para além do horror das vítimas, uma gigantesca fraude no sistema de saúde. A premiação foi remota, pelo site do festival.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!