PEGOU MAL

Entenda polêmica com Ludmilla, acusada de intolerância religiosa no Coachella

Cantora exibiu em telão, durante o festival, a frase: Só Jesus expulsa o tranca rua das pessoas


Publicado em 22 de abril de 2024 | 13:16
 
 
 
normal

A cantora Ludmilla protagoniza mais uma polêmica nas redes sociais ao ser acusada por seguidores de ter praticado intolerância religiosa em seu show no festival Coachella, neste domingo (21 de abril), na Califórnia (EUA).  A funkeira exibiu no telão, durante a sua apresentação, a frase "Só Jesus expulsa o tranca rua das pessoas" e desagradou centenas de pessoas no Brasil.

Entenda:

A expressão "Tranca Rua" representa um agrupamento de entidades espirituais presentes na Umbanda e Quimbanda. Nas religiões de matrizes africanas, ele é considerado responsável pela limpeza astral dos caminhos do mundo. 

Ao exibir a frase durante um clipe em seu show, a cantora desagradou centenas de brasileiros que consideraram a expressão, que cita Jesus (símbolo do cristianismo), preconceituosa.

Cantora responde

Ludmilla se posicionou nas redes sociais após a enxurrada de críticas. A cantora se defendeu e afirmou que, ao exibir o clipe com imagens da comunidade, teve a intenção apenas de retratar a realidade da favela:

"Tiraram do contexto uma das imagens do vídeo do telão do show em Rainha da Favela, que traz diversos registros de espaços e realidades a qual eu cresci e vivi por muitos anos, querendo reescrever o significado dele, e me colocando em uma posição que é completamente contrária a minha", afirma em pronunciamento.

"Rainha da Favela apresenta a minha favela, uma favela real, nua e crua, onde cresci, mas infelizmente se vive muitas mazelas: genocídio preto, violência policial, miséria, intolerância religiosa e tantas outras vivências de uma gente que supera obstáculos, que vive em adversidades, mas que não desiste. Isso passa por conviver em um ambiente muitas vezes hostil, onde a cada esquina você precisa se deparar com as dificuldades da favela", desabafou a artista.

Ludmilla também explica todo o contexto do seu show na nota e finaliza pedindo para que seu fãs não a coloquem nesse lugar:

"Vocês sabem quem eu sou e de onde eu vim. Não tentem limitar para onde eu vou. Respeito todas as pessoas como elas são, e independente de qualquer fé, raça, gênero, sexualidade ou qualquer particularidade de que façam elas únicas", finalizou.

Segundo a cantora, o videoclipe foi feito por uma artista negra e periférica com o objetivo de retratar um "olhar de dentro para fora". A responsável pelo material também se manifestou sobre as críticas:

"Não tenho palavras para o quão imbecís são as pessoas. Minhas captações pelas ruas são voltadas para a retratação de tudo que eu vejo sem filtro", escreveu em seu Instagram.

Críticas continuam

O pronunciamento de Ludmilla não foi bem visto e repercutiu negativamente na web. Internautas pedem que a cantora reconheça o que eles consideram um erro:

"O que custa admitir o erro e se desculpar? Você claramente associou entidades de matriz africana a algo ruim, independente da sua justificativa que não justifica nada, foi intolerância religiosa sim", escreveu um seguidor na rede X.

Outro disse:

"Não importa qual seja a justificativa, preconceito é inaceitável.  Em vez disso, você deveria reconhecer o erro e se desculpar".

"Falou, falou, falou e não falou o que precisa. Só pedir desculpa pelo erro e admitir ignorância no assunto", comentou outro seguidor.

Veja pronunciamento completo da artista:

 

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!