Parceria

Donald Trump diz que deseja acordo de livre-comércio com Brasil

Presidente dos Estados Unidos ressaltou que parceria pode ocorrer devido "ótimo" relacionamento com Jair Bolsonaro

Ter, 30/07/19 - 16h51
Presidente norte-americano disse que o Brasil é um "grande parceiro comercial"

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira que deseja negociar um acordo de livre-comércio com o Brasil. Além disso, não poupou elogios a seu colega brasileiro, Jair Bolsonaro, "um grande cavalheiro" com quem disse ter um "relacionamento fantástico". 

"Tenho um ótimo relacionamento com o Brasil. Tenho um relacionamento fantástico com o presidente. Ele é um grande cavalheiro. Acho que ele está fazendo um ótimo trabalho", disse Trump aos jornalistas na Casa Branca. 

"Vamos trabalhar em um acordo de livre-comércio com o Brasil. O Brasil é um grande parceiro comercial", insistiu.

O presidente americano também apoiou a indicação de Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, para a embaixada brasileira nos Estados Unidos. 

"Acho que é uma grande indicação", disse Trump à imprensa, chamando Eduardo, de 35 anos, de "excepcional". 

"Não acho que seja nepotismo", acrescentou Trump, que também emprega sua filha, Ivanka, e seu genro, Jared Kushner, na Casa Branca.

O secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, chegou esta semana ao Brasil para promover o intercâmbio bilateral.

A visita de Wilbur, a primeira de um secretário de Comércio dos Estados Unidos ao país desde 2011, busca fortalecer o compromisso do governo Trump "com um forte relacionamento comercial e econômico com o Brasil", segundo um comunicado oficial. 

O secretário de Comércio participará nesta terça-feira da comemoração dos 100 anos da Câmara de Comércio dos Estados Unidos no Brasil (Amcham Brasil) em São Paulo. 

Nesta quarta, viajará a Brasília para se encontrar com Bolsonaro, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o da Infraestrutura, Tarcísio Freitas e membros da comunidade empresarial.

A relação entre os Estados Unidos e o Brasil ganhou novo impulso desde que Bolsonaro chegou ao poder em janeiro, presidente um populista de direita polêmico como o próprio Trump. 

"Eles o chamam de o Trump do Brasil. Eu gosto disso", comentou o presidente americano nesta terça, definindo Bolsonaro como "um homem maravilhoso com uma família maravilhosa". 

Quando se reuniu com Bolsonaro em Washington em março passado, Trump disse que "o Brasil e os Estados Unidos nunca estiveram mais próximos", em clara alusão ao distanciamento de mais de uma década causado pelos governos de esquerda que dominaram o cenário político latino-americano.

Após a cúpula, os dois presidentes concordaram em se associar para reduzir as barreiras comerciais e de investimento, de acordo com uma declaração conjunta sobre uma "nova parceria" entre os dois países.

A possibilidade de um acordo de livre-comércio entre os Estados Unidos e o Brasil, que também incluiria a Argentina, foi antecipada no início de julho pelo presidente argentino, Mauricio Macri. 

"Estamos conversando com o Brasil sobre um acordo de livre-comércio com os Estados Unidos", disse Macri, ao expor o recente pacto entre o Mercosul e a União Europeia, mas sem dar maiores  detalhes. 

O comércio de bens e serviços dos Estados Unidos com o Brasil totalizou 103,9 bilhões de dólares em 2018, com exportações de 66,4 bilhões e importações de 37,5 bilhões, segundo o escritório do representante comercial dos Estados Unidos (USTR).

Comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Leia mais
LEIA MAIS
Rússia
Casa Branca
Acidente de trabalho
Vítima
Furacão
Discurso ideológico
Pacto
Capítulos do rio Doce
EUA
Rio de Janeiro