Parceria

Donald Trump diz que deseja acordo de livre-comércio com Brasil

Presidente dos Estados Unidos ressaltou que parceria pode ocorrer devido "ótimo" relacionamento com Jair Bolsonaro

Ter, 30/07/19 - 16h51
Presidente norte-americano disse que o Brasil é um "grande parceiro comercial"
audima

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira que deseja negociar um acordo de livre-comércio com o Brasil. Além disso, não poupou elogios a seu colega brasileiro, Jair Bolsonaro, "um grande cavalheiro" com quem disse ter um "relacionamento fantástico". 

"Tenho um ótimo relacionamento com o Brasil. Tenho um relacionamento fantástico com o presidente. Ele é um grande cavalheiro. Acho que ele está fazendo um ótimo trabalho", disse Trump aos jornalistas na Casa Branca. 

"Vamos trabalhar em um acordo de livre-comércio com o Brasil. O Brasil é um grande parceiro comercial", insistiu.

O presidente americano também apoiou a indicação de Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, para a embaixada brasileira nos Estados Unidos. 

"Acho que é uma grande indicação", disse Trump à imprensa, chamando Eduardo, de 35 anos, de "excepcional". 

"Não acho que seja nepotismo", acrescentou Trump, que também emprega sua filha, Ivanka, e seu genro, Jared Kushner, na Casa Branca.

O secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, chegou esta semana ao Brasil para promover o intercâmbio bilateral.

A visita de Wilbur, a primeira de um secretário de Comércio dos Estados Unidos ao país desde 2011, busca fortalecer o compromisso do governo Trump "com um forte relacionamento comercial e econômico com o Brasil", segundo um comunicado oficial. 

O secretário de Comércio participará nesta terça-feira da comemoração dos 100 anos da Câmara de Comércio dos Estados Unidos no Brasil (Amcham Brasil) em São Paulo. 

Nesta quarta, viajará a Brasília para se encontrar com Bolsonaro, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o da Infraestrutura, Tarcísio Freitas e membros da comunidade empresarial.

A relação entre os Estados Unidos e o Brasil ganhou novo impulso desde que Bolsonaro chegou ao poder em janeiro, presidente um populista de direita polêmico como o próprio Trump. 

"Eles o chamam de o Trump do Brasil. Eu gosto disso", comentou o presidente americano nesta terça, definindo Bolsonaro como "um homem maravilhoso com uma família maravilhosa". 

Quando se reuniu com Bolsonaro em Washington em março passado, Trump disse que "o Brasil e os Estados Unidos nunca estiveram mais próximos", em clara alusão ao distanciamento de mais de uma década causado pelos governos de esquerda que dominaram o cenário político latino-americano.

Após a cúpula, os dois presidentes concordaram em se associar para reduzir as barreiras comerciais e de investimento, de acordo com uma declaração conjunta sobre uma "nova parceria" entre os dois países.

A possibilidade de um acordo de livre-comércio entre os Estados Unidos e o Brasil, que também incluiria a Argentina, foi antecipada no início de julho pelo presidente argentino, Mauricio Macri. 

"Estamos conversando com o Brasil sobre um acordo de livre-comércio com os Estados Unidos", disse Macri, ao expor o recente pacto entre o Mercosul e a União Europeia, mas sem dar maiores  detalhes. 

O comércio de bens e serviços dos Estados Unidos com o Brasil totalizou 103,9 bilhões de dólares em 2018, com exportações de 66,4 bilhões e importações de 37,5 bilhões, segundo o escritório do representante comercial dos Estados Unidos (USTR).

Comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
LEIA MAIS
Manifestação
Decisão
Espaço
Que lindo!
Esperança
Tragédia
Economia
Terrorismo
Outro lado
Palanque