Pé direito

Com gol no fim, Cruzeiro supera o Botafogo-SP e estreia com vitória na Série B

Raposa tirou três pontos da punição de menos seis que carrega no torneio nacional; Jean fez o gol salvador aos 42 min

Cacá fez o primeiro gol do Cruzeiro na Série B do Brasileiro
Josias Pereira | @josiaspereira
08/08/20 - 21h01

O Cruzeiro não poderia se dar ao luxo de perder pontos logo na estreia da Série B, ainda mais com uma diferença de - 6 pontos e jogando dentro do Mineirão. O coração do torcedor quase saiu pela boca, mas o time sustentou a vitória por 2 a 1 sobre o Botafogo-SP, em partida realizada na noite deste sábado, no Mineirão, com gols na segunda etapa marcados por Cacá e Jean, o último deles aos 42 min, após o placar estar em igualdade. A conseguiu tirar menos três pontos da punição que marca o início da caminhada do time no torneio nacional. Uma jornada árdua e que logo no primeiro desafio mostrou a parada dura que será a segunda divisão. 

Sem criação

O time de Enderson Moreira ainda não está pronto. Contra o Botafogo-SP isso ficou notório. Régis já não foi o mesmo jogador de atuações contra a URT e Caldense, pelas últimas rodadas da primeira fase do Campeonato Mineiro.

Na verdade, faltou muito ao Cruzeiro qualidade no último passe e criação em um primeiro tempo onde o time até conseguiu o controle da bola, mas não teve chances efetivas. Marcelo Moreno, que voltou ao comando de ataque, teve lampejos. Uma pancada de fora da área que colocou Darley para trabalhar. E só; Foi muito pouco para o que se espera dele. Assim como as presenças de Maurício e Stênio, sem muitas possibilidades pelas pontas. 

O Botafogo paulista obrigou Fábio a fazer uma daquelas defesas já conhecidas, um milagre em uma pancada de Naldo. Porém o primeiro tempo foi bem pobre de ideias em um típico compromisso pegado de Série B. Sem VAR no torneio, a torcida estrelada ficou na bronca em uma cotovelada de Jordan em Moreno dentro da área. A penalidade não foi assinalada.

Segundo tempo quente

As emoções ficaram mesmo reservadas para a etapa final. Um segundo tempo pegado. Com Régis fora de sintonia no meio-campo, Enderson sacou o 10 e optou pela entrada de Claudinho. Alteração que deixou o torcedor um pouco contrariado.

Efetivamente, a questão da armação não teve lá muita mudança. O investimento desde o início era na capacidade dos volantes de trabalharem essa ligação com a trinca ofensiva. Mas o gol celeste saiu mesmo em um cruzamento de Raúl Cáceres após cobrança de escanteio.

Quem esteve lá para mandar para o fundo das redes foi Cacá, que chegou ao seu terceiro gol no profissional do Cruzeiro, aos 17 min da etapa final. Em um vacilo grande na marcação, o sistema defensivo celeste deixou o goleador Wellington Tanque, do Botafogo-SP, livre na grande área após rebote de Fábio, logo aos 40 min. O camisa 9 não perdoou.

A salvação com os 'bancários'

Mas o Cruzeiro não saíria do Mineirão sem a primeira vitória na B. A Raposa foi salva pelos famosos 'bancários'. Foi com emoção, mas após grande jogada de dois jogadores que vieram do banco, a Raposa conseguiu o gol da vitória. Aos 42 min, Welinton fez grande lance na ponta esquerda e cruzou para o veterano Jean marcar. Alívio. A necessidade de ajustes é evidente, mas seria muito pior não ter arrancado com um vitória em um torneio que não permite erros. O Cruzeiro de Enderson segue sem ser batido. 

FICHA TÉCNICA
Cruzeiro 2 x 1 Botafogo-SP
Motivo: 1ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B 2020 
Local: Mineirão, em Belo Horizonte 
Árbitro: Alisson Sidnei Furtado (CBF-TO) 
Cartões amarelos: Ariel Cabral (Cruzeiro); Naldo e Ronald (Botafogo-SP) 
Cartões vermelhos: - 
Gols: Cacá, aos 17 min do 2ºT, e Jean, aos 42 min do 2ºT  (Cruzeiro); Wellington Tanque, aos 40 min do 2ºT (Botafogo-SP)  

Cruzeiro 
Fábio; Raúl Cáceres, Cacá, Léo e Giovanni (João Lucas); Jadsom Silva, Ariel Cabral e Régis (Claudinho); Mauricio (Jean), Stênio (Welinton) e Marcelo Moreno (Thiago). Técnico: Enderson Moreira 

Botafogo-SP 
Darley; Val (Jonata Felipe), Robson, Jordan e Gilson (Guilherme Romão); Naldo (Ferreira), Victor Bolt e Matheus Anjos (Gustavo Henrique); Ronald, Wellington Tanque e Rafinha (Luketa). Técnico: Claudinei Oliveira 

Leia também: