RISCO

Caranguejos gigantes com 'patas de pelúcia' invadem cidades do Reino Unido

O animal  nativo leste da Ásia, da Coreia, no norte, a Fuquiém, na China, no sul, é também conhecido pelo nome científico Eriocheir sinensis

Por O TEMPO
Publicado em 20 de maio de 2024 | 15:00 - Atualizado em 20 de maio de 2024 | 15:23
 
 
 

Uma espécie de caranguejo gigante com 'patas de pelúcia' está invadindo diversas cidades do Reino Unido. Trata-se de um grande número de gigantescos caranguejos-luva originários da China que se distinguem por um detalhe curioso: as suas patas maiores parecem de "pelúcia".

O animal  nativo leste da Ásia, da Coreia, no norte, a Fuquiém, na China, no sul, é também conhecido pelo nome científico Eriocheir sinensis. Eles passam a maior parte de sua vida em água doce e retornam ao mar para se reproduzir. A espécie de crustáceo tem tamanho mediano suas garras peludas, se assemelham a luvas.  As fêmeas podem carregar entre 500 mil e um milhão de ovos de uma só vez.

De acordo com o tabloide britânico "Daily Star", em 2023,  na cidade de Pode Hole, em Lincolnshire (inglaterra), foi montada a primeira armadilha para os caranguejos da espécie numa tentativa de capturar os predadores enquanto estes migram rio abaixo para acasalar.

No entanto, agora, com mais de 800 avistamentos registrados no Reino Unido, a sua propagação foi confirmada em três regiões do País de Gales. Acredita-se que os invasores tenham viajado do leste da China para a Europa em sedimentos no fundo dos tanques de lastro dos navios, como pequenos caranguejos ou larvas. 

Segundo ambientalistas britânicos essa espécie de caranguejo está entre as 100 piores espécies invasoras. Eles alertam que as criaturas estão comendo a fauna nativa do Reino Unido e representam uma ameaça à biodiversidade e, por isso, pediram que a população faça a sua parte para protegê-la.

Acredita-se que os invasores tenham viajado do leste da China para a Europa em sedimentos no fundo dos tanques de lastro dos navios, como pequenos caranguejos ou larvas. 

O primeiro avistado no Reino Unido foi gravado na central elétrica de Lotts Road, que costumava gerar eletricidade para o metrô de Londres. 

Os caranguejos-luva crescem até o tamanho de um prato de 25cm, danificam os equipamentos de pesca com suas garras afiadas e comem espécies nativas.

Segundo pesquisadores, eles atacam ovos de salmão e truta, duas espécies já ameaçadas na natureza. Além disso, também se alimentam de grandes quantidades de mexilhões e de tanta vegetação fluvial que podem causar grandes danos aos cursos dos rios.


Eles podem transmitir doenças como o verme do pulmão e a peste dos lagostins e ainda, com a atividade de escavação, podem contribuir para inundações.

O caranguejo-luva chinês adulto passa de quatro a cinco anos em água doce e desce para os estuários para procriar e desovar antes de morrer. O seu plâncton desenvolve-se no estuário e depois os juvenis regressam rio acima.

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!