FAIXA DE GAZA

Corpo de refém brasileiro encontrado morto em Gaza é enterrado em Israel

Michel Nisenbaum, 59, foi morto no primeiro dia do conflito, em 7 de outubro de 2023, mas o Exército israelense só recuperou o corpo na última sexta-feira (24)

Por Agências
Publicado em 26 de maio de 2024 | 21:42
 
 
 

O corpo de Michel Nisenbaum, 59, único brasileiro-israelense sequestrado pelo grupo terrorista Hamas nos ataques de 7 de outubro, foi sepultado neste domingo (26) em Ashkelon, cidade de Israel próxima à Faixa de Gaza. Centenas de pessoas se reuniram para participar do cortejo fúnebre, segundo o jornal The Times of Israel.

O Exército israelense recuperou o corpo na última sexta-feira (24) em Jabalia, no norte de Gaza, em uma operação conjunta com o serviço de inteligência de Tel Aviv. Nisenbaum teria sido capturado por terroristas no momento em que se deslocava a uma base do Exército próxima do kibutz Re'im para buscar uma das netas que estava com o genro, um militar.

No país há mais de 40 anos, Nisenbaum morava em Sderot, cidade próxima da fronteira com Gaza, e fazia passeios como guia turístico, além de ser voluntário dirigindo ambulâncias do sistema de saúde. Natural de Niterói (RJ), com dupla nacionalidade, ele deixou a mãe, uma irmã, duas filhas e seis netos.

"As crianças crescerão e lembrarão do avô heroico que você foi, que não teve medo dos terroristas e salvou pessoas no caminho. Graças a você, eles estão aqui. Eu te amo e sinto sua falta. Agora você está em casa", disse Hen, uma das filhas, durante o funeral.

"Perdoe por não ter conseguido ajudar, por não ter conseguido te trazer de volta mais cedo. Nos últimos sete meses, fizemos de tudo para te trazer de volta."

Durante a cerimônia, a sobrinha de Nisenbaum, Ayala Harel, pediu que o governo resgate os reféns ainda mantidos em cativeiros na Faixa de Gaza da forma "mais rápida possível". "Você foi como um irmão mais velho para mim, e também para os meus filhos", disse em relação ao tio.

Segundo o Exército, Nisenbaum e outros dois reféns resgatados -o franco-mexicano Orión Hernández Radoux, 30, e o israelense Hanan Yablonka, 42 - foram mortos ou no momento da captura, perto do kibutz (comunidade agrícola) de Mefalsim, ou no caminho para o cativeiro em Jabalia.

O corpo de Yablonka foi enterrado também neste domingo, em Tel Aviv. Família, amigos e milhares de outros israelenses participaram do cortejo para clamar por um acordo de libertação dos reféns, segundo o The Times of Israel. Já os restos mortais de Radoux serão sepultados no México.

Michel era o único cidadão brasileiro na lista de sequestrados pelo Hamas. O anúncio de sua morte faz com que suba para quatro o número de brasileiros assassinados pela organização extremista. As outras três vítimas estavam na festa eletrônica Nova, invadida pelos terroristas. Eram eles Ranani Glazer, 23, Bruna Valeanu, 24, e Karla Stelzer Mendes, 42.(Folhapress)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!