violência

Assassinos matam quatro crianças a tiros no Equador

Entre as vítimas, está um bebê de cinco meses, de acordo com as autoridades

Por Agências
Publicado em 12 de dezembro de 2023 | 17:55
 
 
 

Quatro crianças, entra elas um bebê de cinco meses, foram assassinadas a tiros dentro de casa no Equador por homens armados que invadiram o local e abriram fogo contra a família, informaram as autoridades nesta terça-feira (12). 

O Ministério Público abriu "uma investigação sobre o homicídio de quatro crianças" na noite de segunda-feira, conforme indica sua página na rede social X (antigo Twitter). Os menores baleados tinham cinco meses, 3, 5 e 7 anos e, segundo a polícia, não eram o alvo inicial do ataque. 

De acordo com o MP, "seus pais ficaram feridos" no ataque ocorrido dentro de uma casa localizada no setor Guasmo Sur, área empobrecida de Guayaquil (sudoeste) e dominada pelas gangues criminosas Los Lagartos e Mafia 18.

O governo assinalou que este assassinato "demonstra a crueldade" com que atuam os grupos armados no país, onde os homicídios quadruplicaram entre 2018 e 2022.

Guayaquil é uma das cidades mais violentas do Equador, onde gangues de criminosos espalham o terror na disputa pelo controle do território para o tráfico de drogas.

"Este acontecimento é um golpe profundo e doloroso para nossas famílias e para o país", acrescentou a Presidência.

O general Víctor Herrera, comandante de Guayaquil e dos arredores de Durán e Samborondón, afirmou em entrevista coletiva que a mãe dos menores está hospitalizada com "prognóstico reservado". 

Segundo o oficial superior da polícia, "o evento violento não era dirigido a essa família, mas sim a uma casa adjacente", onde os agentes das forças de segurança encontraram material "para realizar ataques com explosivos".

Os assassinos entraram na casa por volta das 21h, horário local (23h no horário de Brasília), e dispararam várias vezes, em um ataque que as autoridades disseram que seria dirigido contra a gangue Los Lagartos.

Segundo o relatório semestral do Observatório Equatoriano do Crime Organizado, entre janeiro de 2019 e junho de 2022, os homicídios de jovens entre 15 e 19 anos aumentaram 500%. Ou seja, passou de 41 mortes para 246. 

O documento registra ainda 61 mortes violentas de crianças de até 14 anos no primeiro semestre de 2023. 

O Equador atingiu o recorde de 26 homicídios por 100 mil habitantes em 2022. Esse número ainda pode subir este ano e chegar a 40 assassinatos por 100 mil pessoas, segundo especialistas.

(AFP)
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!