Buscas em curso

Bombeiros tentam tirar vítimas da lama após deslizamento de terra na Itália

A estimativa é que pelo menos 12 pessoas estejam desaparecidas e outras estão presas sob a lama

Por Agências
Publicado em 26 de novembro de 2022 | 11:40
 
 
 
normal

Uma dezena de pessoas continuava desaparecida neste sábado (26 de novembro) na ilha italiana de Ísquia, no golfo de Nápoles, depois que fortes chuvas causaram um deslizamento de terra. O ministro do Interior italiano, Matteo Piantedosi, disse que a situação é "muito séria" e que 12 pessoas continuam desaparecidas. Outras ainda estavam presas sob a lama. 

A mídia havia estimado o número de desaparecidos em 13, mas as autoridades alertaram que o balanço pode mudar devido às dificuldades encontradas no terreno. 

As más condições climáticas dificultam os esforços de resgate nesta ilha na costa de Nápoles. "Neste exato momento, nenhuma morte foi confirmada", afirmou Piantedosi.

O vice-primeiro-ministro italiano Matteo Salvini, citado por vários veículos de comunicação, havia dito anteriormente que pelo menos oito pessoas morreram no deslizamento de terra. 

O deslizamento ocorreu na madrugada de sábado na pequena cidade de Casamicciola Terme, no norte da ilha. "Um deslizamento de terra engoliu uma casa e estamos procurando possíveis pessoas desaparecidas" na cidade, declarou o Corpo de Bombeiros.

A lama arrastou vários carros, levando pelo menos um deles para o mar. Duas pessoas foram resgatadas, acrescentou.

Operações de resgate 

Um casal e seu filho recém-nascido, que tinham sido declarados como desaparecidos, foram posteriormente encontrados no hospital, disse um funcionário das autoridades locais de Nápoles, Claudio Palomba, à agência de notícias AGI. 

O deslizamento de terra foi causado por chuvas intensas e arrastou árvores e veículos em seu caminho, segundo imagens divulgadas pelos serviços de emergência e pela mídia local. 

Na área mais atingida de Casamicciola Terme, pelo menos 30 famílias ficaram presas em suas casas sem água ou eletricidade, com lama e detritos bloqueando a estrada, informou a agência de notícias ANSA.

Os bombeiros enviaram ajuda da cidade mais próxima de Nápoles, mas insistiram que as condições climáticas dificultam o acesso à ilha. "A busca pelos desaparecidos, as evacuações e a ajuda às pessoas em perigo continuam", disse o departamento de proteção civil no Twitter. 

"O trabalho de resgate continua complexo devido às condições climáticas", acrescentou. As autoridades pediram aos moradores que permaneçam em suas casas para não atrapalhar os esforços de resgate. 

A primeira-ministra de extrema-direita da Itália, Giorgia Meloni, disse estar monitorando a situação. Casamicciola Terme sofreu um terremoto em 2017, no qual duas pessoas morreram. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!