REVELAÇÃO

Cientista da NASA garante existência de alienígenas e diz em qual planeta estão

Pesquisadora afirma que indícios plausíveis de vida já foram identificados na atmosfera do astro

Por O Tempo
Publicado em 24 de agosto de 2023 | 17:35
 
 
 

Uma cientista da NASA afirmou, não só que os alienígenas realmente existem, como revelou onde podem ser encontrados. Segundo ela, os extraterrestres podem estar secretamente alojados em Vênus, enfrentando condições inóspitas para os seres humanos

A Dra. Michelle Thaller, pesquisadora do Centro de Voo Espacial Goddard, localizado nos Estados Unidos, propõe essa nova teoria que questiona nossa compreensão do potencial de vida extraterrestre.

A cientista afirma que "indícios plausíveis de vida" já foram identificados na atmosfera saturada de dióxido de carbono de Vênus. 

"A atmosfera de Vênus exibe possíveis indícios de atividade biológica", relatou o Dr. Thaller ao “The Sun”. "Vênus, que outrora nunca seria um candidato, agora exibe na atmosfera algo muito similar ao que poderia ser atribuído à atividade bacteriana."

Apesar de ser comumente chamado de "gêmeo da Terra", devido a semelhanças de tamanho e estrutura, Vênus se distancia drasticamente em termos de condições. Os astrônomos acreditam ser impraticável para os seres humanos habitarem Vênus.

Localizado a 107 milhões de quilômetros do Sol, Vênus detém o recorde de planeta mais quente do Sistema Solar, com temperaturas capazes de derreter chumbo. Trata-se de planeta abrasador com temperaturas atingindo 475°C (900°F) sob um manto atmosférico corrosivo: este é o retrato pouco provável para abrigar formas de vida alienígena dentro de nosso Sistema Solar.

A atmosfera do planeta é composta predominantemente de ácido sulfúrico e dióxido de carbono, que contribuem para um efeito estufa descontrolado retendo calor e impede sua dissipação no espaço exterior.

Apesar desses desafios extremos, a possibilidade de nuvens venusianas abrigarem formas de vida microscópica, capazes de subsistir com enxofre, metano e ferro, é debatida entre os cientistas há muito tempo. A hipótese da fotossíntese também é explorada, já que energia solar suficiente pode penetrar suas densas camadas de nuvens.

CONTRAPONTO

Entretanto, o professor Dominic Papineau, astrobiólogo da University College de Londres, questiona a viabilidade das ideias da Dra. Thaller, argumentando que são difíceis de sustentar realisticamente.

Em declarações ao “MailOnline”, ele esclarece: "Reações químicas relacionadas à vida requerem a presença de água líquida. Logo, encontrar vida extraterrestre exige a localização de água líquida e, para detectar fósseis extraterrestres, é crucial encontrar formações rochosas sedimentares associadas à água líquida do passado."

Ele acrescenta: "Isso torna a possibilidade de vida em Vênus pouco plausível no presente, uma vez que sua superfície é excessivamente quente, apesar de ter tido água líquida no passado. Além disso, o vulcanismo disseminado parece ter coberto grande parte de sua superfície nos últimos centenas de milhões de anos." (Com informações de MailOnline)

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!