Crime

Elizabeth Holmes é condenada a 11 anos de prisão por fraude com Theranos

Holmes, que está grávida, não terá que se entregar até 27 de abril de 2023

Por Agências
Publicado em 18 de novembro de 2022 | 21:23
 
 
 

A empresária americana Elizabeth Holmes foi condenada nesta sexta-feira (18) a pouco mais de 11 anos por fraudar investidores com a Theranos, sua empresa de biotecnologia que prometia revolucionar os diagnósticos médicos.

Holmes, que está grávida, não terá que se entregar até 27 de abril de 2023, de acordo com a decisão do juiz federal do distrito, Edward Davila, pronunciada em um tribunal de San Jose, Califórnia.

A fundadora da Theranos foi condenada em janeiro por persuadir investidores a acreditarem por 15 anos que havia desenvolvido um dispositivo capaz de realizar dezenas de exames médicos rapidamente com apenas algumas gotas de sangue, até o colapso da empresa.

"Assumo diante de vocês minhas responsabilidades pela Theranos. Eu amava a Theranos. Foi o trabalho da minha vida", disse Holmes na audiência, entre soluços, pouco antes da sentença. "Estou devastada por meus fracassos", acrescentou a ex-estrela do Vale do Silício.

No entanto, a promotora Stephanie Hinds argumentou em documentos judiciais que Holmes estava "cega pela ambição".

A promotoria havia pedido 15 anos de prisão e a restituição de US$ 800 milhões às vítimas de Holmes, enquanto a defesa queria uma pena máxima de um ano e meio de reclusão. Seu advogado anunciou nesta sexta-feira que iria prosseguir com um recurso.

"A tragédia nesse caso é que a Sra. Holmes é brilhante" e chegou a conquistar um lugar em um mundo "dominado por egos masculinos", afirmou o juiz. Mas também há "provas suficientes de manipulação e mentiras usadas para fazer negócios", acrescentou. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!