INFLUENZA

Gripe forte leva mulher de 42 anos a amputar pés e braços; entenda

Norte-americana chegou ao hospital com dor na gargante e duas semanas depois, foi internada com sepse: disfunção de órgãos causada por infecção

Por O TEMPO
Publicado em 20 de novembro de 2023 | 16:19
 
 
 

Uma mulher de 42 anos teve as duas pernas e os dois braços amputados após complicações de uma gripe. Kristin Fox, de 42 anos, chegou ao hospital com uma forte dor de garganta e, duas semanas depois, foi internada com sepse: disfunção de órgãos causada por infecção. O caso ocorreu em Ohio, nos Estados Unidos em 2020 e foi divulgado nesta semana pela revista People.

Conforme o boletim médico, Kristin Fox foi diagnosticada com o vírus da influenza, recebeu uma receita com remédios para tratar o quadro em casa. Porém, duas semanas mais tarde, ela não conseguia se levantar sozinha e voltou ao hospital. 

Ao retornar ao pronto-socorro, ela foi diagnosticada com pneumonia bacteriana, o que causou a falência parcial dos pulmões e dos rins. Segundo a equipe médica, para frear os efeitos da infecção, ela foi colocada em um coma induzido.

 “Os médicos falaram que a minha família deveria se preparar para a perda de alguns dedos. Eu senti que estava morrendo”, revelou à Fox News. Quando acordou, as pernas tinham sido amputadas abaixo dos joelhos e os braços abaixo dos cotovelos.

Um ano após a cirurgia, ela retornou ao trabalho e usa próteses nas pernas e também possui próteses adaptáveis para os braços; esse equipamento lhe permite escovar os dentes e comer sozinha.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos estima que cerca de 1,7 milhão de americanos contraiam sepse e que a doença cause a morte de pelo menos 350 mil deles. Ao redor do mundo, a sepse, também conhecida como infecção generalizada, é responsável por quase 20% de todas as mortes, segundo a Organização Mundial da Saúde.

No Brasil, são estimadas 240 mil mortes ao ano causadas por manifestações graves no organismo produzidas por uma infecção. A Fiocruz calcula que a sepse é uma das principais causas de mortalidade hospitalar, acima de infarto do miocárdio e do câncer. A mortalidade no país chega a 65% dos casos, enquanto a média mundial está em torno de 40%.

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!