histórico

Há 3 anos, OMS reconhecia Covid-19 como pandemia; relembre datas marcantes

Doença matou quase 7 milhões de pessoas e expôs as desigualdades no acesso a cuidados de saúde e medicamentos em todo o mundo

Por O Tempo
Publicado em 11 de março de 2023 | 06:00
 
 
 

Há exatos três anos, dia 11 de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhecia a Covid-19 como uma pandemia. O tempo passou. Em 14 de fevereiro de 2023, a organização contabilizava oficialmente 6,84 milhões de mortes no mundo todo e mais de 756 milhões de casos confirmados da doença, apesar de reconhecer que os números reais são muito maiores.

O surgimento do coronavírus ocorreu em 31 de janeiro de 2020, na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China. O novo vírus se propagou pelo mundo e provocou a pior pandemia em um século. 

Relembre a linha do tempo com alguns dos principais pontos da trajetória do vírus no mundo, no Brasil e em Minas Gerais: 

31 de dezembro de 2019: OMS recebe a notificação sobre casos de pneumonia sem causa clara em Wuhan, na China.

10 de janeiro de 2020: OMS publica guia de orientações para países detectarem, testarem e gerenciarem potenciais casos da doença.

11 de janeiro de 2020: China informa sua primeira morte pela doença.

12 de janeiro de 2020: OMS compartilha o sequenciamento genético do novo coronavírus.

13 de janeiro de 2020: primeiro caso de Covid-19 — ainda sem esse nome — fora da China é detectado, na Tailândia.

30 de janeiro de 2020: OMS declara emergência global de saúde.

7 de fevereiro de 2020: morre o médico chinês Li Wenliang, que ficou conhecido por tentar alertar sobre o grande perigo da Covid nos primeiros dias da crise. Ele próprio foi infectado.

11 de fevereiro de 2020: doença causada pelo novo coronavírus é batizada como Covid-19, para designar algo como “doença do coronavírus 2019”.

23 de fevereiro de 2020: Europa vive sua primeira grande onda de infecções, na Itália.

26 de fevereiro de 2020: Brasil confirma seu primeiro caso, em São Paulo. Foi o primeiro caso conhecido na América Latina.

8 de março de 2020: primeiro caso é confirmado em Minas Gerais, em Divinópolis.

11 de março de 2020: a Covid-19 é caracterizada pela OMS como uma pandemia.

12 de março de 2020: primeira morte por Covid é registrada no Brasil, em São Paulo.

16 de março de 2020: primeiro caso é registrado em BH.

18 de março de 2020: Prefeitura de BH (PBH) decreta fechamento de atividades não essenciais. Medida começou a valer em 20 de março. 

30 de março de 2020: primeira morte é confirmada em Minas Gerais, em Nova Lima. 

25 de maio de 2020: OMS suspende uso e testes com a cloroquina.

4 de agosto de 2020: PBH anuncia reabertura gradual das atividades. Bares são reabertos no dia 20 de agosto.

23 de agosto de 2020: EUA aprovam o uso da vacina da Pfizer, primeiro imunizante aprovado no país.

28 de setembro de 2020: total de mortes no mundo chega a 1 milhão.

8 de dezembro de 2020: primeira pessoa é vacinada no mundo, no Reino Unido, com o imunizante da Pfizer. 

12 de janeiro de 2021: Fiocruz anuncia o sequenciamento da variante Gamma, que circulava em Manaus. 

17 de janeiro de 2021: Brasil vacina primeira pessoa contra a Covid-19, com a vacina Coronavac em parceria com o Instituto Butantan.

18 de janeiro de 2021: primeira pessoa é vacinada em Minas Gerais, também com a Coronavac.

22 de janeiro de 2021: primeiro lote de vacinas da AstraZeneca chega ao Brasil.

29 de abril de 2021: primeiro lote de vacinas da Pfizer chega ao Brasil. 

31 de maio de 2021: OMS batiza como Delta a variante encontrada primeiro na Índia em outubro de 2020.

26 de novembro de 2021: descoberta da variante ômicron é anunciada pela OMS.

3 de fevereiro de 2022: Brasil bate recorde de número diário de infecções, com 298.408 casos confirmados em 24 horas.

17 de novembro de 2022: PBH volta a obrigar o uso de máscara no transporte público e em unidades hospitalares.

7 de dezembro de 2022: governo chinês abandona parte das regras de sua política de “Covid zero”, com rígidas medidas de restrição de circulação de pessoas, após protestos populares. Casos no país escalam em um ritmo inédito e pesquisadores ao redor do mundo temem o surgimento de novas variantes do coronavírus.

30 de janeiro de 2023: a OMS decide manter o nível máximo de alerta para a pandemia de Covid-19, exatamente três anos depois de declarar a doença como uma emergência de saúde pública internacional. (Com AFP) 

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!