Sentença

Irã tem 1ª condenação à morte por onda de protestos

A pessoa foi declarada culpada de incendiar um prédio do governo, perturbar a ordem pública, reunir-se e conspirar para cometer um crime contra a segurança nacional

Por Agências
Publicado em 13 de novembro de 2022 | 15:21
 
 
 

Um tribunal de Teerã condenou, neste domingo (13), à morte uma pessoa acusada de participar dos "distúrbios", a primeira sentença desse tipo desde o início da onda de manifestações no país – informou a agência Mizan Online, da autoridade judicial. 

De acordo com o veredicto, a pessoa foi declarada "inimiga de Deus" e culpada de "incendiar um prédio do governo, perturbar a ordem pública, reunir-se e conspirar para cometer um crime contra a segurança nacional", disse a agência. 

O Irã vive uma onda de violência desde que Mahsa Amini, uma jovem curdo-iraniana de 22 anos, morreu sob custódia policial, em setembro passado. Ela foi presa pela polícia da moralidade pelo uso incorreto do véu.

AFP

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!