MUNDO

Israel reconhece ter matado três reféns identificados 'por erro' como 'ameaça'

Pela primeira vez, país admite casos em que soldados atiraram contra cidadãos israelenses no dia 7 de outubro

Por Agências
Publicado em 15 de dezembro de 2023 | 18:13
 
 
 

O Exército israelense reconheceu nesta sexta-feira (15) que matou três reféns sequestrados em 7 de outubro, após identificá-los "por erro" como uma "ameaça".

"Durante combates em Shekhaiya [no norte], o Exército identificou erroneamente três reféns israelenses como uma ameaça. Como resultado, os soldados dispararam contra eles e morreram", afirmaram as forças de segurança em um comunicado, expressando seu "forte arrependimento pelo trágico incidente".

Duas das vítimas foram identificadas como Yotam Haïm e Samer al Talalka. Eles foram sequestrados durante o sangrento ataque do movimento islamista palestino Hamas no sul de Israel, especificou o comunicado.

A família do terceiro refém não quis que sua identidade fosse divulgada. Os corpos foram repatriados a Israel.

O Exército ressaltou que os três morreram "em uma área de combate ativa" onde os soldados israelenses lutam "uma batalha contínua há vários dias" contra os combatentes do Hamas.

(AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!