turbulência

Número de mortos no Irã desde início de protestos chega a 76, diz ONG

Iran Human Rights disse ter conseguido vídeos e certidões de óbito que confirmam disparos com balas reais contra os manifestantes

Por Agências
Publicado em 26 de setembro de 2022 | 16:38
 
 
 

Pelo menos 76 pessoas morreram na repressão das autoridades às manifestações que se estendem por mais de uma semana no Irã, em protesto pela morte da jovem Mahsa Amini - informou a ONG Iran Human Rights (IHR), com sede na Noruega.

"Segundo as informações coletadas pela Iran Human Rights, pelo menos 76 pessoas morreram nas manifestações" em 14 províncias do país, disse a ONG em um comunicado, especificando que "seis mulheres e quatro crianças" estão entre os mortos.

A IHR disse ter conseguido "vídeos e certidões de óbito que confirmam disparos com balas reais contra os manifestantes". "Pedimos à comunidade internacional que tome medidas práticas de forma unida e decidida para pôr fim às mortes e tortura dos manifestantes", convocou o diretor da organização, Mahmood Amiry Moghaddam. 

Segundo a ONG, a província de Mazandaran, no norte do país, concentra o maior número de manifestantes mortos, 25. Em Teerã, três pessoas morreram. 

Esta organização com sede em Oslo informou ainda que a maioria das famílias se viu "obrigada" a enterrar discretamente seus entes queridos, à noite, "e foram pressionadas a não realizar funerais públicos". 

"Muitas famílias foram ameaçadas com consequências legais, se divulgassem as mortes" de seus parentes, relatou o relatório da ONG. 

O balanço oficial das autoridades iranianas é de 41 mortos, incluindo vários membros das forças de segurança. 

(AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!