Drible

Pantone cria bandeira LGBTQIA+ de códigos como crítica às restrições no Catar

O país-sede da Copa do Mundo de 2022 proibiu a utilização da bandeira de arco-íris durante os campeonato

Por O Tempo
Publicado em 16 de novembro de 2022 | 14:24
 
 
 

A Copa do Mundo do Qtar vem gerando diversas polêmicas por ser um país leis que proibem a homossexualidade além de manifestações afetivas e políticas pró-diversidade sexual. A bandeira da comunidade LGBTQIA+, por exemplo, foi banida e não pode ser utilizada no local. 

Como forma de contestar e, mesmo de uma forma simbólica, burlar a regra homofóbica, a Patone criou uma bandeira bom a base branca, listras e alguns números. Cada um destes códigos faz referência à um cor da bandeira de arco-íris seguindo a escala homônima à marca. 

A criação veio por meio de uma parceria com a ONG Stop Homophobie para o lançamento da campanha Colors Of Love. 

Com início no próximo dia 20 de novembro, a Copa do Qtar já coleciona milhares de manifestações de internautas de todo mundo contra o posicionamento do país sobre o assunto. Em entrevista, o major-general Abdulaziz Abdullah Al Ansari, declarou que todos são bem-vindos, embora não possa garantir a segurança das pessoas LGBTQIA+, principalmente se utilizar algum símbolo. "Se ele [um torcedor] levantar a bandeira do arco-íris, e eu a pegar dele, não é porque realmente quero insultá-lo, mas é para protegê-lo”. (Com informações de GKPB)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!