guerra sem fim

Rússia afirma que Ucrânia se retirou das negociações de paz 'por ordem' dos EUA

Vladimir Putin considerou óbvio que ‘tal rejeição dos acordos já estabelecidos ocorreu claramente por ordem de Washington’

Por Agência
Publicado em 27 de outubro de 2022 | 07:58
 
 
 

A Rússia acusou nesta quinta-feira (27) a Ucrânia de se retirar das negociações de paz em março "sob ordens" dos Estados Unidos, embora "um equilíbrio muito, muito difícil tenha sido alcançado" entre Kiev e Moscou. 

"Na verdade, o texto estava pronto. (...) E então, de repente, o lado ucraniano desapareceu do radar, disse que não queria mais continuar as negociações", lamentou o porta-voz da presidência russa, Dmitri Peskov, antes de afirmar que o presidente Vladimir Putin considerou "óbvio" que "tal rejeição dos acordos já estabelecidos ocorreu claramente por ordem de Washington".

"É totalmente óbvio", insistiu. A imprensa questionou Peskov sobre as declarações feitas no dia anterior, após encontro de Putin, pelo presidente de Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embalo, que disse que o seu homólogo russo estava disposto a negociar com Kiev. 

Segundo Peskov, a Rússia está "pronta para garantir seus interesses na mesa de negociações". "Nós queremos, mas neste caso específico, estamos falando de total relutância por parte da Ucrânia", disse o porta-voz.

O presidente ucraniano Volodimir Zelensky descartou rapidamente a possibilidade de negociar com Moscou e denunciou uma "retórica preparada" de Putin. No final de setembro foi mais categórico e disse que não negociaria com a Rússia enquanto Putin for seu presidente. As negociações entre Kiev e Moscou estão paralisadas desde março e ambas as partes trocam acusações por este bloqueio. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!