NORMA SANITÁRIA

Suprema Corte dos EUA decide manter norma sobre Covid para expulsar imigrantes

A aplicação desta medida é imediata, não admite recurso legal e não prevê o retorno automático ao país de origem dos migrantes

Por Agência
Publicado em 27 de dezembro de 2022 | 19:44
 
 
 

A Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu, nesta terça-feira (27), que uma medida adotada por causa da pandemia de Covid-19, utilizada desde 2020 para barrar a entrada de centenas de milhares de imigrantes ao país, deve permanecer em vigor. 

A sentença, adotada por cinco votos a quatro, defere, ao menos temporariamente, uma petição de 19 estados que alegaram que ficariam sobrecarregados com a chegada de imigrantes caso a norma do chamado Título 42 fosse suspensa e a fronteira fosse aberta.

Em março de 2020, o governo do republicano Donald Trump (2017-2021) ativou este instrumento sanitário para poder expulsar sem demora os imigrantes sem permissão de residência detidos nas fronteiras terrestres.

A aplicação desta medida é imediata, não admite recurso legal e não prevê o retorno automático ao país de origem dos migrantes. Estão previstas raras exceções para determinadas nacionalidades, como os ucranianos desde a invasão de seu país pela Rússia, ou para menores desacompanhados.

Ativistas e especialistas em direitos humanos consideram a medida uma violação do direito internacional. Eles consideram em particular "desumano" impedir que um solicitante de asilo em potencial formule seu trâmite neste sentido.

Em sua opinião, o sistema atual só incentiva os imigrantes a cruzarem a fronteira ilegalmente e a correrem riscos cada vez maiores para chegar a seu destino, atravessando desertos, áreas hostis ou rios em que correm o risco de se afogarem.

(AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!