Tragédia

Terremoto: aeroportos foram fechados na Turquia e gás desligado na região

Este é o maior terremoto na Turquia desde 17 de agosto de 1999, que causou 17.000 mortes; especialistas alertam para mais tremores

Por Agências
Publicado em 06 de fevereiro de 2023 | 09:47
 
 
 

Após os terremotos que atingiram Turqui e Síria, por questões de segurança, o gás foi cortado em todas as regiões afetadas, devido a tremores secundários que poderiam gerar explosões. Autoridades do Curdistão iraquiano também informou que suspenderá as exportações de petróleo através da Turquia como precaução. 

Este é o maior terremoto na Turquia desde 17 de agosto de 1999, que causou 17.000 mortes, mil delas em Istambul. Segundo o vice-presidente turco, Fuat Oktay, pelo menos três dos aeroportos da zona afetada, Hatay, Maras e Gaziantep, foram fechados ao tráfego. A neve e as tempestades que atingiram a região impediram o tráfego em outros aeroportos, incluindo o de Diyarbakir, constatou a AFP. "Ouvimos vozes aqui e ali. Achamos que talvez 200 pessoas estejam entre os escombros", disse uma equipe de resgate em Diyarbakir, de acordo com uma transmissão da NTV. 

Especialistas alertam há muito tempo que um grande terremoto poderia devastar Istambul, que permitiu construções generalizadas sem precauções. Um terremoto de magnitude 6,8 atingiu Elazig em janeiro de 2020, matando mais de 40 pessoas. Em outubro desse mesmo ano, outro de magnitude 7,0 sacudiu o Mar Egeu, deixando 114 mortos e mais de 1.000 feridos.  (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!