Opinião

Valora Minas

Um marco para os hospitais filantrópicos mineiros

Por Carlos Costa
Publicado em 04 de julho de 2021 | 03:00
 
 
 
normal

O lançamento da nova Política de Atenção Hospitalar (PAH) pelo governo de Minas Gerais, no dia 21 de junho, está sendo comemorado pelos gestores dos hospitais filantrópicos do Estado. Conhecida como Valora Minas, a iniciativa busca aplicar R$ 1 bilhão por ano para custear os serviços prestados pelos hospitais ao Sistema Único de Saúde (SUS). Esse é um marco histórico e uma das principais conquistas da gestão estadual da saúde em prol do povo mineiro.

Com 45 anos de atuação em Belo Horizonte e tendo o único hospital de transição de Minas Gerais, a Rede Paulo de Tarso foi propulsora e apoiou ativamente a equipe técnica da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) na construção desta nova política. A principal novidade é o incentivo para que os pequenos hospitais do interior (com até 50 leitos) se tornem hospitais de transição – indicados para as pessoas que estiveram (ou estão) internadas por um tempo e precisam de cuidados essenciais, mas não demandam intervenções invasivas e de terapia intensiva existentes em hospitais gerais.

Atualmente, os pequenos hospitais do interior representam cerca de 60% de um total de 480 que prestam serviços ao SUS no Estado e possuem grande ociosidade de leitos (média de ocupação de 29%), gerando uma enorme perda de recursos que impacta na assistência à população. Por meio do Módulo Hospitais Plataforma da PAH, estas instituições poderão atuar estrategicamente, oferecendo serviços de atenção primária e secundária de saúde com objetivo de atender a nova realidade assistencial do Estado.

Esse modelo de prestação de serviços já é adotado pela Rede Paulo de Tarso e está se fortalecendo em função da pandemia de Covid-19 e do envelhecimento da população. Minas Gerais é o terceiro Estado com maior número de idosos no Brasil. De acordo com o IBGE, terá a maior população idosa do país daqui quatro décadas. Ou seja, um em cada três mineiros terá 60 anos ou mais. Esse cenário demanda ações imediatas, entre eles a regulamentação e a integração de novos serviços na saúde – pilares desta nova política.

Mais de 70% dos idosos têm uma ou mais doenças crônicas associadas, o que representa cerca de 60% do total de gastos com saúde no país. O objetivo da SES-MG é promover uma política assistencial cada vez mais preventiva e minimizar os impactos financeiros oriundos do surgimento dessas enfermidades, além de assegurar os melhores desfechos clínicos proporcionados pela intensidade de cuidados que o modelo assistencial propõe.

Estamos otimistas e animados com a conscientização e os benefícios que a Valora Minas proporcionará a toda população mineira. Essa é uma política de atenção hospitalar disruptiva e inovadora, que prevê um modelo de gestão em saúde baseado em valor, com melhor distribuição e controle dos recursos públicos. Acreditamos que esse modelo pioneiro logo será aderido por outros estados brasileiros. A Rede Paulo de Tarso está muito orgulhosa por fazer parte desse momento.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!