MERCADO ESPORTIVO

Corinthians x Vai de Bet: delegado diz que clube paulista é 'potencial vítima'

Casa de apostas Vai de Bet anunciou, na última sexta-feira (7/6) a rescisão do contrato de patrocínio com o Corinthians.

Por Agências
Publicado em 10 de junho de 2024 | 13:34 - Atualizado em 10 de junho de 2024 | 13:37
 
 
 

A casa de apostas Vai de Bet anunciou, na última sexta-feira (7/6) a rescisão do contrato de patrocínio com o Corinthians. O anúncio do rompimento, surge em meio a denúncias por alegações de irregularidades envolvendo pagamentos da Rede Media Social Ltda, intermediária do acordo, à Neoway Soluções Integradas em Serviços Ltda, cujo CNPJ está no nome de Alex Fernando André, mais conhecido como Alex Cassundé, membro da equipe de comunicação do presidente Augusto Melo.


O delegado do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), Tiago Fernando Correia, afirmou que o Corinthians é tratado como "potencial vítima" na investigação do contrato de patrocínio entre o clube paulista e a empresa de apostas "Vai de Bet.


As autoridades investigam a Neoway Soluções Integradas em Serviços Ltda, suposta empresa laranja, que teria atuado na intermediação do patrocínio. "Ao que tudo indica, o Corinthians é uma potencial vítima. É importante frisar que a investigação está direcionada a apurar eventual constituição ilícita, ilegal, da empresa Neoway", declarou Tiago Fernando em entrevista ao programa "Mesa Redonda", da TV Gazeta, no domingo.


O delegado reforçou ainda que nenhum dirigente do time alvinegro, o que inclui o presidente, Augusto Melo, é formalmente investigado nesse momento. "Nosso foco inicial é tentar identificar quem está por trás da empresa Neoway", enfatizou ele.

Na semana passada, a Polícia Civil notificou o clube e pediu informações sobre a intermediação do contrato de patrocínio. Em comunicado, a então patrocinadora afirmou ter tomado a decisão com base em dispositivos contratuais.


"A marca avalia que não se pode manter a parceria enquanto pairar sobre o acordo qualquer suspeita em relação a condutas que fujam à conformidade com a ética e os preceitos legais. Só a dúvida, no crivo ético da marca, já é suficiente para determinar a rescisão - que foi exercida pela Vai de Bet suscitando cláusulas do contrato que protegem direitos da marca nessa decisão", diz trecho da nota divulgada à imprensa.


Ao todo, o acordo de patrocínio master previa um pagamento de R$ 360 milhões ao longo de três temporadas, ou 36 meses. O Corinthians recebeu R$ 60 milhões pela parceria antes da rescisão do contrato, mas deixou de ganhar R$ 300 milhões pelos próximos dois anos e meio.

*Estadão Conteúdo

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!