MORTE APÓS PROCEDIMENTO

Natalia Becker abandona entrevista ao ser questionada sobre peeling de fenol e profissão

Mulher considerou a morte do paciente Henrique Chagas uma fatalidade

Por O TEMPO
Publicado em 10 de junho de 2024 | 09:44
 
 
 

A influenciadora Natalia Fabiana de Freitas Antonio, conhecida na internet como Natalia Becker, abandonou uma entrevista no Fantástico, que foi ao ar neste domingo (09 de junho), ao ser questionada sobre a sua profissão e sobre o tipo de fenol usado no empresário Henrique Chagas, morto após o procedimento feito por ela no dia 03 de junho.


Quando a repórter da matéria pergunta qual era a profissão da influenciadora, Natalia não responde e afirma que estava "um pouco nervosa". Neste momento a entrevista é interrompida pela advogada da dona da clínica, que pede: "Não vamos falar essas partes bem técnicas, né?". A repórter confronta a defesa ao dizer que era um questionamento básico.


Uma segunda pergunta sobre as substâncias e o tipo de fenol que Natalia usava durante os procedimentos fez a influenciadora abandonar a entrevista. A advogada da empresária também pediu que o trecho não fosse divulgado.

Câmeras de segurança:

Câmera mostra SAMU dentro da clínica atendendo Henrique Chagas


A reportagem também mostrou as últimas imagens de Henrique Chagas com vida. Os registros são desde o momento em que ele chega na clínica, localizada em São Paulo, acompanhado do namorado, até o acionamento do SAMU, quando o empresário já está passando mal após ter o peeling de fenol aplicado na pele.


Antes de morrer, o jovem de 27 anos chegou a conversar com o namorado sobre o procedimento. Segundo Marcelo Camargo, Henrique relatou que a dor era insuportável, mas brincou dizendo que essa era a "dor da beleza". 


Marcelo também tirou foto do namorado após o procedimento, mas logo em seguida percebeu que ele estava passando mal:


"Ele agarrou meu braço, arregalou o olho e já travou a respiração. Ali ele já saiu fora de sí", contou Marcelo ao Fantástico.


O procedimento:


A Associação Nacional dos Esteticistas e Cosmetólogos (ANESCO) não confirma a formação de Natalia e a considera uma pessoa leiga que não pode ser chamada de esteticista. A mulher aprendeu a aplicar o peeling de fenol on-line, em um curso que durou cerca de um mês e tinha uma apostila de 43 páginas.


Natalia também confessou que fazia a compra do Fenol pela internet, o que, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é proibido.


Marcelo Camargo afirma que tentou convencer o companheiro de não fazer o procedimento, que é considerado perigoso e sério por dermatologistas e só pode ser feito por médicos, segundo a lei:


"Incomodavam as marcas de acne.... A gente falava, Henrique você é uma pessoa linda, você não precisa disso", disse Marcelo.

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!