Venda Nova

Policial militar morre após viatura bater e capotar durante perseguição em BH

Outros dois militares ficaram feridos, mas não correm risco de morte

Por Lucas Gomes e Raquel Penaforte
Publicado em 12 de junho de 2023 | 06:57
 
 
 
normal

Um policial militar morreu, na madrugada desta segunda-feira (12), após um acidente durante perseguição no bairro Letícia, região de Venda Nova, em Belo Horizonte. A viatura, com outros dois militares, perseguia uma moto quando foi atingida por um Fiat Uno no cruzamento das ruas Carlos Torrezani e Antônio Marcos da Cruz.

Com o impacto, a viatura capotou por algumas vezes até parar com as quatro rodas para cima ao atingir um meio-fio. Segundo o Corpo de Bombeiros, dois militares conseguiram sair da viatura, mas um dos integrantes ficou preso às ferragens, inconsciente, bastante ferido e sofreu uma parada cardiorrespiratória. A viatura do Samu realizou o atendimento ao militar, mas foi constatado o óbito no local. Os outros dois policiais sofreram cortes pelo corpo, escoriações, e foram atendidos e conduzidos para o Hospital João XXIII.

O chefe do Centro de Jornalismo Policial (CJP), tenente-coronel Flávio Santiago, classificou o fato como lamentável. “Podemos antecipar a nossa tristeza. Era um militar em serviço buscando a proteção da sociedade e infelizmente tivemos essa triste notícia da madrugada”, disse Santiago.

O militar que morreu no acidente é o soldado Ruben Damaceno Fernandes, de 32 anos. Ele já trabalhou em outras unidades da polícia, como em Esmeraldas, na região metropolitana, antes de ser transferido para o 49º Batalhão de Polícia Militar. Ele deixa dois filhos pequenos. Nas horas vagas, Damaceno trabalhava com uma serralheria própria, também na região metropolitana.

Testemunha

O analista de sistemas Anselmo Moura, de 41 anos, levou um susto com o barulho da batida. "Estava indo dormir quando ouvi um barulho muito forte. Foi assustador. Quando saí para ver o que era, já tinha vários carros de polícia, viatura dos bombeiros", conta.

Segundo as informações, a viatura perseguia uma motocicleta suspeita pela rua Carlos Torrezani e ao passar pelo cruzamento da rua Antônio Marcos da Cruz colidiu com um Fiat Uno que subia a via. Cinco pessoas estavam no veículo de passeio, e não há informações se alguma delas ficou ferida.

"O PM que morreu estava preso às ferragens, os outros estavam tentando virar a viatura,  até que conseguiram retirá-lo do veículo. Fizeram aquela manobra de ressuscitação, mas não adiantou", disse o morador.

Ainda segundo o relato do vizinho, o carro de passeio teve a frente amassada. "Ficou muito bem, com vista ao estado da viatura. Mas esse trecho aqui é comum de acidentes, já tivemos outros por aqui, mas nada tão grave", acrescenta. 

A porta-voz da Polícia Militar, major Layla Brunella, em coletiva para imprensa, disse que a vitura foi acionada por uma ocorrência de perturbação da ordem.

"Chegando ao local, os militares viram uma moto suspeita, que evadiu do local. A perseguição durou 10 minutos pelo bairro, até que houve a colisão. Na viatura, além do soldados, estavam um sargento e um cabo que tiveram escoriações leves. O militar morreu no local, apesar das tentativas de resgate", disse.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!