Em Portugal

Suspeito de canibalismo em Amsterdã é preso a caminho de BH com carne na mala

Begoleã Fernandes, de 26 anos, é natural de Matipó, na Zona da Mata mineira; crime aconteceu no domingo (26) e jovem foi preso na segunda (27) em Lisboa

Por José Vítor Camilo
Publicado em 28 de fevereiro de 2023 | 14:37
 
 
 

Suspeito de assassinar e praticar canibalismo em Amsterdã, na Holanda, um mineiro de Matipó, na Zona da Mata mineira, foi preso na noite da última segunda-feira (27 de fevereiro) no aeroporto de Lisboa, em Portugal. Ele carregava uma carne suspeita em sua mala e foi abordado no momento em que tentava embarcar em um voo para Belo Horizonte. 

Segundo informações apuradas pelo jornal Correio de Manhã, de Portugal, Begoleã Fernandes, de 26 anos, é suspeito de um homicídio ocorrido em Vegasstraat, no norte da cidade holandesa. O crime teria ocorrido na noite de domingo (26) e o suspeito fugiu logo em seguida para o outro país. 

Uma fonte da polícia portuguesa teria informado que o mineiro chegou ao país de um voo que saiu de Amsterdã, porém, após apresentar um passaporte falso italiano, acabou levantando suspeitas e foi abordado. 

Foi então que as autoridades europeias confirmaram a real identidade do jovem e a existência de um mandado de prisão emitido pela justiça holandesa. Agora, ainda conforme a publicação de Portugal, o rapaz foi detido e aguarda a decisão do tribunal sobre sua possível extradição para o outro país. 

Outra versão do crime

Já o jornal holandês Het Parool deu outra versão do crime. O veículo afirma que Begoleã teria confessado o assassinato, "mas disse que estava tentando se defender de Alan, porque ele fingiu ser um canibal. Outros amigos receberam a mesma mensagem vaga”, descreveu.

O TEMPO procurou a polícia portuguesa nesta quarta-feira (1º de março) para esclarecer as circunstâncias do crime e saber se já houve alguma confirmação sobre a origem da carne encontrada com o suspeito. Entretanto, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) informou apenas que, devido a questões relacionadas com a Proteção de Dados "não é possível a divulgação de dados pessoais". 

Carne na mala 

Ainda de acordo com o jornal português, na mala de Begoleã foram apreendidos uma amarra, roupas sujas de sangue e uma embalagem plástica com "pedaços suspeitos de carne". Diante da possibilidade de se tratar de carne humana, o material foi encaminhado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Lisboa para passar por exames. 

O Correio de Manhã informou ainda que a vítima do homicídio seria um homem identificado como Alan Lopes que trabalhava como açogueiro na Holanda. Begoleã, que teria chegado a ser morador de rua no país, teria sido acolhido pela vítima. O motivo do crime poderia ser uma dívida que o homem cobrou do suspeito.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!