Levantamento

Brasileiros devem gastar R$ 6,7 trilhões em 2023, 1,5% a mais do que em 2022

População mineira deverá ser responsável por 10,13% do consumo nacional, segundo pesquisa IPC Maps 2023


Publicado em 20 de junho de 2023 | 16:12
 
 
 

As famílias brasileiras devem gastar cerca de R$ 6,7 trilhões ao longo deste ano, com base na atual expectativa de alta do PIB em 1,2%. A estimativa representa um aumento real de 1,5% em relação a 2022. Essa é a conclusão da pesquisa IPC Maps 2023, especializada há quase 30 anos no cálculo de índices de potencial de consumo nacional, de acordo com fontes oficiais. 

O destaque da pesquisa foi o avanço da Região Sul, que recuperou a vice-liderança e ultrapassou o Nordeste no ranking de consumo entre as regiões brasileiras, perdendo apenas para o Sudeste. Segundo Marcos Pazzini, sócio da IPC Marketing Editora e responsável pelo estudo, essa mudança se deve ao processo de migração social positiva no Sul do país, com uma quantidade maior de domicílios nas classes mais altas. 

“Enquanto a média nacional da evolução nominal do potencial de consumo é de 7,5%, no Sul esse número é de 9,4%, graças ao desempenho das classes A, B1 e B2 que apresentam uma elevação de, respectivamente, 19,7%, 13,6% e 20,4%”, explica o pesquisador.

Gastos dos mineiros

Em Minas Gerais, o consumo da população em 2023 deve chegar a 681,9 bilhões, o que representa 10,13% do índice nacional. Os maiores gastos da população mineira, segundo o levantamento, serão com habitação (R$ 144 bi), veículo próprio (R$ 73,3 bi), alimentação no domicílio (R$ 56 bi), alimentação fora do domicílio (R$ 38,2 bi), materiais de construção (R$ 25,8 bi) e planos de saúde / tratamento dentário (R$ 25,3 bi).

Outro dado que chama a atenção sobre o consumo dos mineiros é a grande diferença entre os gastos das populações urbana e rural. Enquanto os moradores das cidades devem gastar R$ 624,9 bilhões em 2023, os habitantes da zona rural devem desembolsar R$ 57 bilhões. 

Ranking de potencial de consumo por cidades em MG

  1. Belo Horizonte / R$ 109,7 bilhões
  2. Uberlândia / R$ 29,8 bilhões
  3. Contagem / R$ 26,7 bilhões
  4. Juiz de Fora / R$ 24,3 bilhões
  5. Betim / R$ 15,1 bilhões
  6. Uberaba / R$ 13,5 bilhões
  7. Montes Claros / R$ 11,9 bilhões
  8. Ipatinga / R$ 9,8 bilhões
  9. Divinópolis / R$ 9,3 bilhões
  10. Governador Valadares / R$ 9,3 bilhões

Outros dados relevantes sobre MG

População 

Total: 21,6 milhões
Urbana: 18,2 milhões
Rural: 3,3 milhões

Número de empresas

Total: 2,3 milhões
Indústria: 421 mil
Serviços: 1,3 milhão
Comércio: 563 mil
Agronegócio: 22 mil

Número de domicílios

Total: 7,3 milhões
Urbanos: 6,2 milhões
Rural: 1,1 milhão

Consumo per capita

Urbano: R$ 34,2 mil por ano
Rural: R$ 16,8 mil por ano 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!