Imobiliário

Internet é opção de 88% dos interessados em comprar imóveis

Com a Web, vendas ficaram mais rápidas e clientes, mais exigentes

Por ALINE LABBATE
Publicado em 26 de novembro de 2010 | 20:31
 
 
 

A internet está mudando o jeito de vender imóveis. Dados do Google mostram que 88% dos interessados em comprar a casa própria utilizam a web como primeiro canal de acesso. E as imobiliárias já perceberam que esse novo cliente é bem diferente daquele de dez anos atrás. "Antes, ele buscava os classificados, ligava imediatamente para a imobiliária e demorava mais tempo até definir o perfil para o corretor. Hoje, o cliente tem todas as informações sobre o imóvel na rede e só vem à imobiliária na hora de visitar o imóvel", afirma o presidente da Câmara do Mercado Imobiliário, Ariano Cavalcanti de Paula. "As pessoas chegam com uma noção maior de mercado em relação a preços, localização e condição dos imóveis", completa o gerente de vendas da unidade Sion da Casa Mineira, Admar Ubaldo Passos Cruz.

Somente a Net Imóveis, rede que reúne 48 imobiliárias em Belo Horizonte, registra 68 mil consultas a imóveis por dia. Um a cada cem acessos é feito a partir de dispositivos móveis, como o celular. Para aumentar esse percentual, a empresa acaba de lançar uma versão "mobile" do site, que é mais leve e tem linguagem mais objetiva. Em 2011, a expectativa da rede é de que o volume de acessos móveis cresça, pelo menos, três vezes.

Para o diretor da Prolar Net Imóveis, Vinícius Araújo, os próprios corretores tiveram que se adaptar ao novo perfil de cliente conectado. "Hoje, o profissional tem que ter um conhecimento muito maior do produto que ele vende, pois o cliente vai chegar buscando detalhes ainda mais específicos e o consultor tem que estar preparado", destaca.

Além das fotos, os sites da maioria das imobiliárias exibem informações como o valor do imóvel, da taxa de condomínio e do IPTU; detalhes do acabamento como pisos, armários e rebaixamento de teto; estrutura do prédio como quantidade de apartamentos por andar e até informações sobre o bairro, como pontos de ônibus, escola e padarias.

Rui Marcondes Mesquita, 60, utilizou a internet para economizar tempo e dinheiro. "Pelo site eu escolhi exatamente os imóveis que me interessavam. Depois, foi só ligar para o corretor agendando as visitas. Às vezes, ele me ligava passando um código de imóvel e, pela internet mesmo, eu já dispensava. Assim, não precisei gastar tempo nem gasolina para conhecer um apartamento que não ia me interessar", conta o empresário, que encontrou o imóvel certo em apenas 30 dias.

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!