Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Empresas que mais receberam de Anastasia durante campanha foram criadas neste ano

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
PUBLICADO EM Sat Oct 06 03:00:15 BRT 2018

Empresas que mais receberam de Anastasia durante campanha foram criadas neste ano

Duas das três empresas que mais receberam recursos da campanha ao governo de Minas do senador Antonio Anastasia (PSDB) foram criadas recentemente. Conforme mostrou o Aparte do último domingo, a prática também foi realizada pela campanha de Fernando Pimentel (PT).

A 2018 Comunicação SPE Ltda., que até nesta quinta-feira (4) havia recebido R$ 5 milhões para produzir, planejar e agenciar os vídeos e áudios para propagandas eleitorais de Anastasia, foi criada em maio deste ano pelo marqueteiro do tucano, Sérgio Torres Abrahão, e pelo vice-presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH) e secretário do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro), João Victor Carneiro de Rezende Renault.

Inicialmente registrada no endereço residencial de João Victor Renault, a empresa agora está sediada em um imóvel alugado. Procurado pelo Aparte, Renault disse que este é um procedimento normal. “Há mais de dez anos, em toda campanha a gente cria uma empresa no molde de Sociedade de Propósito Específico (SPE), que é aquela que tem função determinada e por um período. É uma empresa criada já com data para acabar. Se não me engano, a data é até 31 de dezembro”, afirmou o vice-presidente da CDL-BH.

Ele também negou que os cargos que ocupa influencie algo nas eleições. “Nesse período de eleição, de dois em dois anos, eu me licencio dos cargos e passo a atuar na campanha. Estou há 30 anos na CDL e, no caso do Minaspetro, estou como secretário na atual gestão. A minha ocupação mesmo é um posto de gasolina que eu tenho, então não atrapalha”, disse.

De acordo com Renault, o intuito de criar empresas especificamente para um objetivo é dar mais transparência ao processo. Para ele, como a companhia só recebe recursos da campanha de Anastasia e do deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM), candidato a senador, fica mais fácil organizar as contas e não misturar outras empresas privadas com a campanha eleitoral. O deputado Rodrigo Pacheco pagou R$ 2,5 milhões para a empresa pelos serviços prestados.

Já a terceira empresa que mais arrecadou na campanha de Anastasia foi a Silveira & Unes Sociedade de Advogados. Sócia do escritório aberto em julho, Marilda de Paula Silveira é nome conhecido em Brasília. Além de dar aula no Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), faculdade que tem o ministro Gilmar Mendes como sócio, Marilda atuou como advogada no PPS no processo que tinha o objetivo de cassar a chapa Dilma-Temer. Também como advogada do partido, ela pediu o indeferimento da posse do ex-presidente Lula como chefe da Casa Civil, pedido que foi acatado por Gilmar Mendes.

Flávio Henrique Unes Pereira, o outro sócio do escritório, disse que a empresa já existe há sete anos em Brasília. Como eles já tinham ações que tramitam em Belo Horizonte e com o desejo de Anastasia de contar com eles à frente dos serviços advocatícios, juntaram as duas coisas e decidiram criar uma empresa na capital mineira.

Procurada, a assessoria do senador Antonio Anastasia disse que, conforme prometido pelo candidato, ele “montaria uma equipe enxuta e com pessoas de sua confiança. Foi o que ele fez. Tanto a equipe de comunicação quanto a de advogados são formadas por profissionais altamente qualificados, de alto gabarito e que já trabalharam com Anastasia anteriormente”. (Lucas Henrique Gomes / Lucas Ragazzi)

Visão

FOTO: Nelson Jr./SCO/STF - 11.9.2018

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso criticou a ideia de elaboração de uma nova Constituição, durante participação em evento em comemoração aos 30 anos do atual texto, realizado nesta sexta-feira (5) na Fundação Getulio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro. “Considero muito ruim a ideia de se desperdiçar o capital político que essa Constituição representa e convocar uma nova nesse momento de polarização e ressentimento que a sociedade brasileira vive. Dificilmente vai sair algo melhor do que essa que temos”, afirmou.

Camisetas no dia da eleição

Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reafirmou nesta sexta-feira (5) que o eleitor pode usar camiseta de seu candidato no dia da eleição. Mas não serão permitidas condutas que caracterizem boca de urna, como aglomeração de pessoas com a mesma roupa ou distribuição dessas camisetas. “O que a lei proíbe categoricamente? A promoção de comício, de carreata, uso de alto-falante, arregimentação de eleitor, propaganda de boca de urna. Enfim, proíbe a propaganda eleitoral, mas não a manifestação pessoal, desde que seja respeitosa, silenciosa e, sobretudo, individual”, afirmou o ministro relator do caso, Tarcísio Vieira.

O que achou deste artigo?
Fechar

Empresas que mais receberam de Anastasia durante campanha foram criadas neste ano
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter