Recuperar Senha
Fechar
Entrar
28/04/17

Depois de andar de helicóptero, Bim da Ambulância vai a pé para Aparecida

Após pousar um helicóptero na praia da Bacutia, no Espírito Santo, e ser preso por isso, o vereador Bim da Ambulância (PSDB) resolveu ir a pé até Aparecida, no interior de São Paulo. A longa caminhada é para pagar uma promessa. O parlamentar deve chegar na manhã desta sexta-feira (28) à cidade paulista – ele saiu da região de Venda Nova, na capital mineira, na madrugada do último dia 19.

Bim decidiu andar por cerca de 540 km para agradecer a Nossa Senhora Aparecida por sua reeleição no ano passado, quando recebeu 11.490 votos. “Vou caminhar em devoção e agradecimento à padroeira do Brasil pelo êxito da minha reeleição. Se Deus quiser, esse trajeto vai ser feito em dez dias, como foi feito na minha primeira eleição”, afirmou o vereador ao Aparte antes de iniciar a viagem.

O tucano está percorrendo cerca de 55 km por dia. Em conversa com a coluna, a esposa do vereador, Elaine Almeida, disse que na tarde dessa quinta-feira (27) ele estava no município de Cachoeira Paulista, no interior de São Paulo. Ele passaria a noite na cidade de Lorena, distante cerca de 20 km de Aparecida.

Elaine contou ainda que o parlamentar pretende chegar à Catedral Basílica de Nossa Senhora Aparecida por volta das 10h para participar de duas missas, nos horários de 10h30 e de 12h30. Segundo ela, apesar de Bim enfrentar chuva, sol e cansaço, não ocorreram problemas sérios no percurso.

Bim está sendo acompanhado de perto por uma equipe, que está em uma de suas ambulâncias. O grupo auxilia-o com alimentação e planejamento. Um rapaz também participa da peregrinação com o vereador. Ele sofreu um acidente de moto, há tempos, e foi socorrido por um dos veículos de resgate de Bim. Por isso, resolveu agradecer junto com o parlamentar. O tucano deve voltar de São Paulo de ambulância.

Em 2012, quando foi eleito pela primeira vez, Bim pagou a mesma promessa, mas antes de as atividades legislativas começarem. O parlamentar disse que escolheu esse período do ano para fazer a peregrinação porque não teria sessões plenárias na Casa, além do fato de Legislativo não funcionar por ser feriado.

Em janeiro, Bim ficou preso por cerca de 24 horas, inclusive sendo levado para um presídio, após pousar um helicóptero numa praia. A Polícia Civil do Espírito Santo entendeu que, ao aterrissar uma aeronave na praia de Bacutia, sem “qualquer pane ou motivo justificável”, o tucano colocou a vida e a saúde de outras pessoas em risco. Após deixar a cadeia, o parlamentar negou as acusações e disse a O TEMPO que o episódio foi a maior humilhação da vida dele. O vereador jantou em uma caneca e dividiu a cela com um traficante e um estelionatário, segundo ele. (Fransciny Alves)

Lacerda na vitrine

O ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda (PSB) terminou nesta semana seu mandato como presidente da Frente Nacional do Prefeitos (FNP). Mas, como é pré-candidato ao governo de Minas nas eleições do ano que vem, ele não ficará longe dos holofotes e continuará trabalhando para que o seu nome fique mais conhecido. Além de comandar o PSB de Minas, Lacerda foi eleito nessa quinta-feira (27) para coordenar o conselho de ex-presidentes da FNP – órgão que foi criado nessa quinta-feira (27). O comitê tem como objetivos ajudar na articulação com o Congresso Nacional e com Executivo e auxiliar a diretoria da FNP. Essa é uma das formas de Lacerda continuar tendo contato direto com parlamentares em Brasília. O ex-prefeito da capital mineira também tem percorrido o Estado para organizar as comissões provisórias do PSB. Neste ano, as executivas estaduais e nacional da sigla vão ser renovadas.

Passeata

FOTO: José Cruz/Agência Brasil

Índios acampados em Brasília desde o início da semana ocuparam nessa quinta-feira (27) três das seis faixas do Eixo Monumental, na Esplanada dos Ministérios. A marcha interditou parcialmente a via e, segundo os organizadores, reuniu 4.000 indígenas por volta das 16h. A PM calculava a presença de mil pessoas no mesmo horário. Participantes afirmaram que a ideia da manifestação era fazer “uma caminhada pacífica, sem flechas e celebrando apenas os rituais”. A PM montou um cordão de isolamento para revistar os indígenas no acesso à Esplanada e evitar que eles chegassem ao local com madeiras, flechas e outros artefatos do tipo. Na última terça-feira, em outro protesto, policiais e índios entraram em confronto, com registro de flechadas e de tiros.

R$ 55 mil é a quantia que a Prefeitura de Cachoeira Dourada, no Triângulo Mineiro, vai destinar para a contratação da banda baiana Araketu. O grupo vai apresentar-se no evento de comemoração do Dia do Trabalho, no próximo dia 30.

Itabira

O prefeito de Itabira, Ronaldo Lage Magalhães (PTB), e a vice-prefeita, Dalma Barcelos Silva (PDT), tiveram os mandatos cassados pela Justiça Eleitoral. A decisão é de primeira instância. Segundo a sentença, a campanha da chapa teve irregularidades na captação de recursos. Entre os problemas apontados pela Justiça estão doações feitas por meio de cheque com valores superiores ao previsto pela legislação, falta de capacidade financeira dos candidatos e origem oculta dos recursos doados. A Justiça também determinou novas eleições, declarou os dois inelegíveis por oito anos (a partir das eleições de 2016) e ordenou a devolução dos valores recebidos de forma irregular. A assessoria de comunicação da Prefeitura de Itabira informou que os advogados do prefeito e da vice já foram acionados e vão recorrer da decisão. O prefeito não quis se pronunciar.

Deputado tenta se defender

Após o Aparte publicar nota sobre um vídeo no qual o deputado estadual Sargento Rodrigues (PDT) supostamente intimida uma servidora da Assembleia Legislativa durante reunião da Comissão de Constituição e Justiça, o parlamentar enviou resposta à coluna. No texto, Rodrigues destaca sua trajetória e luta na oposição ao governo de Fernando Pimentel (PT). “Atuo na trincheira da defesa da transparência, lealdade, legalidade, eficiência, entre outras, dos atos da administração pública, o que nos coloca em rota de colisão com aqueles interesses não republicanos adotados pelo atual governo de Minas. Uma forma de exercer essa defesa materializa-se na obstrução legítima da tramitação dos projetos de interesse do governador”, diz trecho do texto. O pedetista completa: “Acusações infundadas e manipuladas por montagens de vídeo e texto, divulgadas anonimamente em redes sociais se mostram a única alternativa para tentar desacreditar nosso legítimo e honesto trabalho de parlamentar”. Em sua resposta, o deputado não falou sobre o suposto assédio à servidora da Assembleia.