Rodovia da morte

Pai morre em acidente para proteger filho de 4 anos

Segundo o Corpo de Bombeiros, caso a BR-116 fosse duplicada, acidente poderia ser evitado

Sex, 08/09/17 - 18h12
Carro bateu em carreta, rodou na pista e foi atingido por outro veículo

Um homem de 30 anos morreu para salvar o filho, de apenas 4 anos, em um acidente no quilômetro 564 da BR-116, próximo a Dom Corrêa, distrito de Manhuaçu, na região da Zona da Mata mineira, no começo da tarde desta sexta-feira (8).  

O carro em que eles estavam, um gol preto, bateu na traseira de uma carreta e rodou na pista. Um outro gol, que vinha na pista contrária, bateu na lateral do veículo. Wilson Cupertino Júnior morreu na hora. Ao perceber que o acidente ocorreria, Wilson agarrou o filho, Luiz Felipe, para protegê-lo. Eles estavam no banco de trás do carro.

Com a ação do pai, a criança teve apenas ferimentos leves nas pernas. Outros dois homens estavam no carro, mas também ficaram levemente feridos. O motorista do outro veículo, José Rodrigues Albuquerque, de 66 anos, foi encaminhado ao Pronto Socorro de Manhuaçu com suspeita de fratura na clavícula.

A atitude do pai ao salvar o filho emocionou os Bombeiros e os populares que acompanharam o caso. “É emocionante a história. Mostra o sentimento de todo pai, que é salvar o filho”, disse o sargento do Corpo de Bombeiros de Manhuaçu, Eduardo Dias, que atendeu a ocorrência.

Wilson era de Dom Corrêa e seguia sentido Manhuaçu. O trânsito foi liberado ainda na tarde desta sexta-feira.

Cadeirinha

A Polícia Rodoviária Federal e o Corpo de Bombeiros constataram que a criança não estava na cadeirinha, obrigatória no transporte de crianças em carros. A legislação determina o uso do bebê conforto, poltrona de elevação ou assento de elevação para crianças de até dez anos.

Luiz Felipe deveria estar no assento de elevação, ideal para crianças com peso entre 18 e 36 kg, entre 4 e 7 anos. “É necessário falar para população a importância da cadeirinha para evitar danos maiores”, disse Dias. 

Duplicação

Ainda segundo Dias, as ocorrências de acidente na região são altas. A pista é simples, mas deveria ser duplicada para evitar mais mortes e acidentes. “Esse acidente, por exemplo, é evitável. Se a rodovia fosse duplicada, o carro em que pai e filho estavam não seria atingido pelo outro carro”, afirmou. 

(4) comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Flávio 7:46 PM Sep 09, 2017
Você está certo Mário Henrique os jornalistas são tão despreparados que da até desânimo de ler a notícia; mesmo se a Br fosse de 4 pistas só de ter batido na traseira da carreta ele perderia o controle. Oh profissão que á gente ruim de serviço.
0
Denunciar

Fala sério 8:32 AM Sep 09, 2017
Pergunto. A criança que precisa de cadeirinha no veículo particular, em um táxi ela não precisa. O táxi é blindado ou tem outro dispositivo de segurança?
0
Denunciar

joao marcio pinto correa 11:52 PM Sep 08, 2017
É UM ACONTECIMENTO MUITO TRISTE. VIVA O PAI DO MENOR DE QUATRO ANOS. TENHO CERTEZA, QUE DEUS O RECEBERÁ EM SEU REINO O PAI DA CRIANÇA. MEUS SENTIMENTOS A TODOS OS FAMILIARES.
0
Denunciar

Mario Henrique Souza Lins 9:30 PM Sep 08, 2017
Infelizmente, o "poderia" não cabe, muito menos o "se". O carro em que estavam bateu na traseira de uma carreta, falta de habilidade, atenção, distração ou excesso de velocidade do veiculo em que estavam. Duplicada ou não seria um grave acidente.
0
Denunciar

LEIA MAIS
Pensando nos filhos
Explosão
Briga de Trânsito
Sustentável
Social
Balanço
Paralisação nacional
Triângulo
Fugindo da crise
Central
Leia mais