Mi Casa Su Casa

Após operação, Alex de Freitas se diz inocente

Segundo o prefeito de Contagem, o aluguel de R$4.500 é pago para uma imobiliária mensalmente. Secretário de Defesa Social é proprietário do imóvel

Qua, 17/07/19 - 19h23
Alex de Freitas, prefeito de Contagem

O prefeito de Contagem, Alex de Freitas (sem partido), se declarou inocente, em entrevista coletiva à imprensa, na tarde desta quarta-feira (17), na sede da Prefeitura ao lado de todo seu secretariado e apoiadores políticos. Na manhã desta quarta, a Polícia Civil e o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) cumpriram mandados de busca e apreensão na casa e no gabinete do prefeito e do secretário de Defesa Social, Décio Camargos. Eles investigam suposta lavagem de dinheiro e ocultação de bens. Segundo Freitas, não há nada de ilícito relação entre ele e o secretário Décio Camargos. 

“Se por um lado estou constrangido e chateado com o que eu tive que passar, por outro lado, estou com a consciência tranquila de que nada tenho de esconder, que nada foi obtido na minha casa que comprove nenhum desvio de caráter, nenhuma má utilização do recurso público. Eu espero sinceramente que, em posse da documentação, tanto das que eles adquiriram, tanto das que eu estou ofertando, essa investigação possa ser concluída no intervalo de tempo mais curto possível e que seja comprovada a minha inocência”, declarou. 

Alex de Freitas explicou que Décio Camargos, é proprietário da casa onde ele mora com a família. O prefeito distribuiu uma cópia do contrato de locação que mostra que o valor do aluguel cobrado pela imobiliária é R$4.500 mensais. Ele também apresentou seu imposto de renda e o extrato bancário do período em que vive na casa - 03 de janeiro de 2017 - com o valor descontado de sua conta corrente mensalmente. 

Questionado sobre o motivo dele não ter entregado esses documentos a polícia e nem ter informado o valor que ele paga de aluguel no momento da operação, Alex disse que não estava com os papéis. “Eles não estavam em meu poder. Eu disse isso para o procurador. A minha esposa é quem faz parte do pagamento das despesas domésticas e quem faz o controle dessas despesas. E eu tenho, há mais de seis anos, um secretário que cuida da minha conta corrente e que fica encarregado de juntar essa documentação. Ele tem uma procuração minha e faz isso de maneira legal e transparente. Foi o que eu comentei com ele, que se não estivesse em poder da minha esposa, estaria com esse secretário”, declarou. 

O secretário de Defesa Social também participou da coletiva e afirmou que a casa ainda não está em seu nome porque ele acabou de pagar pelo imóvel recentemente. “Eu acabei de finalizar os pagamentos. Não passei ainda para o meu nome por uma conveniência, mas devo fazer a transferência agora, de imediato”, disse.

Sobre o preço do aluguel do imóvel estar abaixo do mercado, Camargos alegou que para ele o valor atende e negou que o prefeito o beneficie de qualquer outra maneira. “Eu acho que R$ 4.500 é um aluguel que me atende, tanto a mim, quanto ao prefeito. Ele cuidou de todas as reformas que foram feitas e, além disso cuida bem do meu imóvel. Então, eu acho que tanto para ele quanto para mim foi um bom negócio”, afirmou.

Enriquecimento

Sobre o motivo pelo qual seu patrimônio aumentou em quase R$ 18 milhões em seis anos, o secretário afirmou que recebeu esse montante de herança de seu pai. “Quando eu me candidatei em 2012, eu tinha no meu patrimônio declarado R$ 1,6 milhão. Em 2018 quando concorri ao cargo de deputado, esse patrimônio estava perto de 20 milhões. Isso porque, é bom deixar bem claro, que esse acréscimo nesse patrimônio foi advindo de uma herança que eu recebi do Décio Camargos de Aguiar, isso está registrado em 2018”, disparou. 

 

 

Podcasts Relacionados

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Mauro Lúcio da silva 7:33 PM Jul 17, 2019
O MPMG e a PCMG estão respondendo a quem nesta investigação? Perguntas que ninguém fez: Porque os investigados não foram intimados a prestar esclarecimentos? Porque uma operação midiatica desta forma? Precisamos prezar mais pela legalidade e o sagrado direito de defesa antes da condenação! Tempos difíceis! A continuar assim não vai ter ninguém para gritar, quando todos estiverem "ilegalmente" condenados. Atentem-se ao devido Processo Legal antes que seja tarde demais!!!!
0
Denunciar

Leia mais
LEIA MAIS
Vazamentos
Opinião
Investigação
Afago
Ação
Distrito Federal
Prazo
Sem papas na língua
Em entrevista
História