milagre

Adolescente é resgatada dos escombros na Turquia 11 dias após o terremoto

Aleyna Olmez, de 17 anos, foi encontrada no momento em que as possibilidades de haver sobreviventes são consideradas mínimas

Por Agência
Publicado em 16 de fevereiro de 2023 | 11:35
 
 
 

As equipes de emergência turcas resgataram nesta quinta-feira (16) uma adolescente de 17 anos dos escombros de um prédio que desabou no terremoto de 6 de fevereiro, no momento em que as possibilidades de encontrar sobreviventes são consideradas mínimas. Aleyna Olmez foi resgatada 11 dias após o terremoto de 7,8 graus de magnitude, que destruiu cidades inteiras e deixou quase 40.000 mortos no sudeste da Turquia e na Síria.

"Ela parecia estar bem. Abriu e fechou os olhos", declarou à AFP Ali Akdogan, um voluntário que participou dos trabalhos de resgate em Kahramanmaras, cidade próxima ao epicentro do tremor. "Nós trabalhamos aqui, neste edifício, há uma semana (...) Viemos com a esperança de ouvir algo", afirmou.

"Celebramos quando encontramos algo com vida, mesmo que seja um gato", acrescentou. Sem conter as lágrimas, um tio da adolescente abraçou um por um todos os socorristas e afirmou: "Nunca esqueceremos vocês". Mas, pouco depois do resgate, os militares turcos pediram aos jornalistas e aos moradores que deixassem o local, porque as equipes de emergência começaram a retirar os corpos dos escombros.

De acordo com os balanços mais recentes divulgados pelas autoridades e por fontes médicas, pelo menos 36.187 pessoas morreram na Turquia, e 3.688, na Síria, em consequência do terremoto de 6 de fevereiro e dos tremores secundários. O total de vítimas fatais confirmadas chega a 39.875.

A Turquia suspendeu os trabalhos de resgate em algumas regiões. O governo da Síria, país em guerra, adotou a mesma medida nas regiões sob seu controle. Um homem de 5 anos e procedente de Ancara foi detido na província turca de Hatay (sul) no momento em que tentava roubar um bebê em um hospital, aproveitando o cenário caótico provocado pelo terremoto, informou a agência estatal de notícias Anadolu.

O homem se apresentou como ex-chefe de polícia no centro médico, localizado na cidade de Samandag, e perguntou pelo bebê utilizando seu nome, de acordo com a Anadolu. Ele foi detido e algemado. O suspeito estava com vários documentos de identidade falsos. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!