'ano desinflacionário'

EUA: Dirigente do Fed vê inflação ainda muito alta, mas espera melhora

Segundo James Bullard, os indicadores não confirmaram a recessão indicada pela retração do PIB nos primeiros trimestres

Por Agências
Publicado em 05 de janeiro de 2023 | 18:35
 
 
 

O presidente da distrital do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) em St. Louis, James Bullard, reconheceu nesta quinta-feira, 5, que a inflação nos Estados Unidos segue "muito alta", mas projetou que a escalada dos preços deve arrefecer este ano. Em discurso durante evento da CFA Society de St,. Louis, afirmou que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA melhorou no segundo semestre de 2022, após o recuo no início do ano.

Segundo ele, os indicadores não confirmaram a recessão indicada pela retração do PIB nos primeiros trimestres. O dirigente, que não vota nos encontros do Fed neste ano, acrescentou que os juros ainda não estão em níveis "suficientemente restritivos", mas deve alcançar esse patamar em breve.

No entendimento dele, os aumentos mais forte dos juros no início do ciclo de aperto ajudaram a manter as expectativas de inflação "relativamente baixas". "Esses fatores podem se combinar para fazer de 2023 um ano desinflacionário", destacou.

(Estadão Conteúdo)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!