fatalidade

Homem atropela e mata 8 pessoas diante de centro de migrantes no Texas

Forças de segurança informaram que, até o momento, o incidente é tratado como acidente, mas testemunhas contaram que o motorista gritou insultos contra o grupo antes de acelerar o veículo

Por Agência
Publicado em 08 de maio de 2023 | 09:22
 
 
 
normal

Ao menos oito pessoas morreram e 10 ficaram feridas no domingo (7) depois que foram atropeladas por um veículo na cidade de Brownsville, Texas, na fronteira com o México, diante de um centro de ajuda de migrantes. As forças de segurança informaram que no momento o incidente é tratado como acidente, mas uma testemunha declarou à AFP que o motorista gritou insultos contra o grupo antes de acelerar o veículo.

"Recebemos uma ligação sobre uma SUV cinza que ultrapassou o sinal vermelho e atropelou várias pessoas. Confirmamos que sete pessoas morreram e outras foram levadas para o hospital", declarou à AFP o porta-voz da polícia da cidade de Brownsville, Martin Sandoval.

A imprensa local informou horas depois que uma pessoa não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital, o que eleva o número de vítimas fatais a oito. O policial disse que as pessoas aguardavam em um ponto de ônibus quando foram atropeladas. Sandoval disse que algumas vítimas fatais eram migrantes. 

"O motorista do veículo foi detido, está sob custódia, mas o levamos para o hospital porque teve diversos ferimentos", afirmou o porta-voz. O homem será processado por direção perigosa, mas também pode receber outras acusações, segundo a polícia. Luis Herrera, venezuelano de 36 anos que ficou com um braço ferido, disse à AFP que o acidente aconteceu "de repente".

"Uma mulher passou de carro e nos avisou para sairmos do caminho", disse. "Foi uma questão de segundos. O assassino veio com o carro, gesticulando para nós, insultando, dizendo coisas como 'motherfucker' (filho da puta), não sei, coisas assim que eu não entendo", contou.

"Ele acelerou e passou raspando por mim", acrescentou. "Não estamos dizendo que é intencional. No momento, estamos tratando como um acidente", insistiu o porta-voz da polícia.

O incidente ocorreu no momento em que governo dos Estados Unidos se prepara para suspender uma medida conhecida como "Título 42", que foi adotada durante a pandemia de Covid-19 e permitiu que agentes das patrulhas de fronteira deportassem ou rejeitassem a entrada dos migrantes sem sequer examinar os pedidos de asilo.

O fim iminente da norma provoca o temor, entre as autoridades, de um aumento do número de migrantes que entram ilegalmente no sul dos Estados Unidos. O centro de Brownswille registrou nas últimas semanas uma grande presença de migrantes, que são liberados no local depois que se entregam à patrulha de fronteira.

As vítimas do atropelamento estavam em um grupo de 25 pessoas que aguardavam em um ponto de ônibus, de acordo com Victor Maldonado, diretor executivo do Centro Ozanam, um refúgio para desabrigados que fica do outro lado da rua onde aconteceu o acidente.

O grupo, que segundo Maldonado era integrado apenas por venezuelanos, acabara de tomar café da manhã nas instalações. Ele descreveu uma cena aterrorizante, com partes de corpos ao longo da rua. As testemunhas ficaram "realmente em estado de choque, disse à AFP.

O centro para os moradores de rua permanece aberto as 24 horas do dia, explicou Maldonado. Ele disse que o local recebe pessoas que migraram do Chile, Colômbia, Equador, China, Ucrânia e Venezuela. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!