crise britânica

Reino Unido: Secretário do Tesouro aponta erros de premiê Liz Truss

Jeremy Hunt sugeriu que reverterá os planos de corte de impostos da primeira-ministra após semanas de turbulência econômica e política

Por Agência
Publicado em 16 de outubro de 2022 | 09:38
 
 
 

O novo secretário do Tesouro britânico, Jeremy Hunt, apontou erros do governo de Liz Truss e sugeriu que reverterá os planos de corte de impostos da primeira-ministra após semanas de turbulência econômica e política. Hunt, nomeado na sexta-feira, 14, para substituir Kwasi Kwarteng, disse que os impostos podem aumentar e os gastos públicos provavelmente serão espremidos ainda mais nos próximos meses. Truss demitiu Kwarteng e abandonou sua promessa de corte no imposto corporativo enquanto tentava manter seu emprego, após apenas seis semanas no cargo.

Hunt disse que Truss reconhece seus erros e vai corrigi-los. "Foi errado cortar a taxa máxima de imposto para os mais bem pagos em um momento em que teremos que pedir sacrifícios de todos para passar por um período muito difícil", disse Hunt à BBC. "Os gastos não aumentarão tanto quanto as pessoas gostariam e todos os departamentos do governo terão que encontrar mais eficiência do que planejavam. E alguns impostos não serão cortados tão rapidamente quanto as pessoas querem", disse ele.

Hunt, que concorreu duas vezes na disputa pela liderança do Partido Conservador, é um legislador experiente que já ocupou cargos importantes no governo, incluindo o de secretário de Relações Exteriores. Seus comentários sugerem que ele pode desmantelar muitas das promessas econômicas pelas quais Truss fez campanha e tentou implementar durante suas primeiras semanas no cargo.

Sobrevivência

"Truss luta por sua sobrevivência", disse a manchete do The Times ontem, ao afirmar que "mesmo em Downing Street, altos funcionários acham que é apenas uma questão de tempo até que ela seja forçada a sair".

"Truss se agarra ao poder", publicou o Daily Telegraph em sua primeira página. Segundo o jornal conservador, parlamentares continuam conspirando para que ela deixe a liderança do Executivo o mais rápido possível.

Um plano que Truss e Kwarteng divulgaram há três semanas, que prometia 45 bilhões de libras em cortes de impostos sem explicar como o governo os pagaria, derrubou os mercados e a libra britânica, deixando sua credibilidade em frangalhos. Para a imprensa britânica, Hunt agora aparece como homem forte do governo, enquanto Truss está consideravelmente enfraquecida por suas mudanças de posição. Para o Financial Times, "a única coisa que une o partido é a falta de confiança em Truss". (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS)

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!