Censura

Singapura pune 'Vogue' por promover famílias 'não tradicionais'

País do Sudeste Asiático aplica regras rígidas para limitar conteúdo LGBTQIA+ na imprensa


Publicado em 15 de outubro de 2022 | 09:59
 
 
 

As autoridades de Singapura limitaram a permissão de publicação da edição local da revista de moda "Vogue" por ter divulgado imagens de nudez e por promover famílias "não tradicionais". O Ministério da Comunicação e Informação da Cidade-Estado anunciou, na sexta-feira (14), que lançou uma advertência para a revista e "revogou" sua permissão de publicação de um ano.

Após a medida, a "Vogue" solicitou uma nova autorização, que lhe foi concedida por apenas seis meses, acrescentou o ministério. Singapura aplica regras muito rígidas para limitar o conteúdo LGBTQIA+ na imprensa. As revistas são proibidas de promover "estilos de vida alternativos" que se desviem do conceito de "família tradicional". 

A regulamentação também proíbe a publicação de imagens de nudez, incluindo “representações de modelos seminus, cujos seios e/ou órgãos genitais apareçam cobertos por mãos, materiais, ou objetos”.

A "Vogue" "infringiu quatro vezes, nos últimos dois anos, as diretrizes relativas ao conteúdo das revistas de moda locais, por (publicar imagens de) nudez e fazer a promoção de famílias não tradicionais", alegou o ministério. A publicação de revistas em Singapura está sujeita à obtenção de uma licença. 

É a primeira vez que as autoridades reduzem a duração dessa permissão desde 2014, quando uma revista de arte local recebeu sanções por "conteúdo religiosamente insensível ou degradante".

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!