Ciência

Uso de Viagra pode reduzir em 69% risco de desenvolver Alzheimer, sugere estudo

A análise abrangeu mais de sete milhões de pessoas nos Estados Unidos

Por O TEMPO
Publicado em 06 de dezembro de 2021 | 13:53
 
 
 

O uso de Citrato de sildenafila – droga popularmente conhecida como “Viagra” – está associado a queda significativa no risco de desenvolvimento do Mal de Alzheimer, indica estudo publicado na “Nature Aging” nesta segunda-feira (6).

Os pesquisadores descobriram que uso do remédio está associado com redução de 69% do risco de desenvolvimento na comparação com fatores como sexo, raça e idade. A análise abrangeu mais de sete milhões de pessoas nos Estados Unidos. 

Contudo, os autores ressaltam que os dados não são uma resposta definitiva. Outros fatores, citam, podem ser responsáveis, como o hábito de o Citrato de sildenafila ser administrado, em geral, apenas em pessoas saudáveis que têm, em si, riscos reduzidos de desenvolver a doença.

O estudo conclui, todavia, que o uso do remédio – comumente indicado para tratamento de disfunção erétil e alguns tipos de hipertensão – deve ser estudado, também, como alternativa de combate ao Alzheimer.  

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!