De saída

Secretário-adjunto de Saúde de Minas é demitido após fura-fila da vacina

Exoneração de Marcelo Cabral deve ser publicada neste sábado, junto com a do ex-titular da Saúde, Carlos Eduardo Amaral

Por Redação
Publicado em 12 de março de 2021 | 09:48
 
 
 

A demissão do secretário-adjunto de Saúde de Minas Gerais, Marcelo Cabral, foi confirmada nesta sexta-feira (12). A exoneração de Cabral deve ser publicada neste sábado (13), junto com a do ex-titular da pasta da Saúde, Carlos Eduardo Amaral. O afastamento de Amaral foi anunciado pelo governador Romeu Zema na noite dessa quinta-feira (11) e tem relação com investigação de servidores que furaram a fila da vacina contra Covid no Estado

Marcelo Cabral está na lista de vacinados, assim como todos os sub-secretários da pasta e o próprio Carlos Eduardo Amaral. Além do ex-secretário, outros 805 servidores administrativos da Secretaria de Saúde foram vacinados.

O Ministério Público investiga o caso. A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) instaurou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para também investigar o fura-fila da vacinação.

Em sabatina nessa quarta-feira, Amaral foi duramente questionado sobre a vacinação antecipada e disse aos deputados que "queria dar exemplo". Os deputados questionaram, no entanto, porque ele não se vacinou publicamente.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!