ANÁLISE

Atlético tem valências anuladas e derrota para o Peñarol traz alerta para carências

Galo é superado pelo Peñarol e Gabriel Milito conhece a primeira derrota no comando da equipe alvinegra

Por Fernando Martins Y Miguel
Publicado em 15 de maio de 2024 | 09:54
 
 
 
normal

Se existir um momento em que perder é bom, a derrota do Atlético para o Peñarol, por 2 a 0, no Uruguai, na última terça-feira (14), pode ser classificada assim. Líder do Grupo G com 12 pontos e já classificado para as oitavas de final da Libertadores, o Galo tem algumas lições que pode tirar do revés para os uruguaios.

No Grupo G, a derrota pouco influi, já que o time alvinegro está classificado e dificilmente perderá a primeira colocação. A equipe encara o Caracas, em casa, pela última rodada.

Mas a exibição contra o Peñarol traz lições que o Atlético precisa assimilar. A equipe alvinegra precisa criar alternativas táticas e, principalmente, de opções para não se deixar anular como aconteceu com os uruguaios.

O Peñarol conseguiu impedir os avanços dos alas alvinegros pelas laterais, e conseguiu controlar as investidas pelo centro. Soma-se a isso a atuação apagada de Zaracho, uma espécie de termômetro do meio-campo.

Além disso, a equipe sentiu falta de Gustavo Scarpa para as investidas pela esquerda e dar a qualidade nas viradas de jogo. O chamado balanço ofensivo, no qual o time atleticano faz com eficiência, que são as viradas de bola de uma lateral à outra com rapidez não aconteceu.

O time também se vê com dificuldades nas peças de reposições para determinadas posições. A saída de Otávio, que sentiu dor muscular ainda no primeiro tempo, fez com que o meio perdesse a intensidade e capacidade de marcação e preenchimento de espaço no 'perde-pressiona' no campo de ataque. A entrada de Igor Gomes, não supriu a necessidade.

Outra carência apresentada tem sido a zaga. Apesar de Milito recuar o volante Battaglia, o treinador tem carência de um zagueiro de origem que seja eficiente nas bolas aéreas.

Em termos de tabela, a derrota pode fazer com que o time alvinegro não termine a fase de classificação com a primeira colocação geral. Mesmo assim, caso vença o Caracas, na última rodada, o Galo terá grandes chances de terminar a fase entre os melhores colocados e, assim, decidir em casa os confrontos eliminatórios futuros.

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!