Ferrari no topo

Carlos Sainz vence GP da Austrália de Fórmula 1; Verstappen abandona

Charles Leclerc e Lando Norris fecharam o pódio

Por Agências
Publicado em 24 de março de 2024 | 08:37
 
 
 

O espanhol Carlos Sainz, da Ferrari, venceu neste domingo (24 de março) o Grande Prêmio da Austrália, encerrando a série de vitórias da Red Bull nesta temporada, depois de o tricampeão mundial Max Verstappen ter abandonado a prova devido a um problema no freio de sua RB20. 

Sainz, que passou por uma cirurgia de apendicite há duas semanas, terminou a corrida 2,3 segundos à frente de seu companheiro de equipe Charles Leclerc, enquanto Lando Norris, da McLaren, ficou em terceiro.

Essa foi a primeira 'dobradinha' da Ferrari desde o GP do Bahrein de 2022. Foi também o terceiro Grande Prêmio de Sainz e o primeiro desde a vitória no ano passado em Cingapura. 

"Foi uma corrida muito boa. Estou muito feliz, me senti muito bem lá. Claro que fisicamente não foi fácil, mas tive sorte de ficar mais ou menos sozinho e consegui administrar meu ritmo", declarou Sainz.

"A vida às vezes é uma loucura... o pódio no Bahrein, depois o apêndice, a recuperação, a vitória. É uma montanha-russa, mas adorei e estou extremamente feliz", comemorou. 

Leclerc também vibrou com o resultado. "É uma sensação boa, especialmente para a equipe. Primeiro e segundo não acontecia desde o GP do Bahrein de 2022", disse o monegasco, que terminou à frente do britânico Lando Norris, terceiro ao volante de sua McLaren. 

Seu companheiro de equipe, o australiano Oscar Piastri, terminou em quarto no final da corrida marcada pelo impressionante acidente de George Russell. 

O britânico bateu em um muro na curva 6 e o carro ficou atravessado no meio da pista. Para alívio de todos, o acidente o piloto saiu do carro ileso.

O dia foi desastroso para o holandês Verstappen, que teve que sair do seu veículo fumegante após ser ultrapassado por Sainz na segunda volta. 

"Tenho fumaça, fumaça azul, fogo, fogo", disse ele através da rádio da equipe antes de abandonar a corrida em Melbourne com o que parecia ser um problema no freio traseiro.

"Assim que as luzes do sinal se apagaram, o freio direito travou. Então ficou difícil de pilotar o carro desde o início", explicou 'Mad Max', que encerrou assim uma série de 43 GPs sem abandonar. 

O holandês segue na liderança do campeonato, mas Charles Leclerc passa para a segunda colocação e fica apenas quatro pontos atrás do líder (51 pontos contra 47).

Sainz, duas semanas após a cirurgia

Assim como ocorreu em Singapura, em setembro passado – onde encerrou a primeira série de dez vitórias de Verstappen – Carlos Sainz, que havia acabado de se recuperar da operação de apêndice realizada há 15 dias, não tremeu e conquistou na Austrália a sua 3ª vitória na F1, depois de Singapura em 2023 e Silverstone em 2022. 

Também foi uma corrida ruim para Lewis Hamilton e sua inconsistente Mercedes. O britânico, sete vezes campeão mundial, sofreu uma falha no motor na volta de número 17.

Verstappen fez uma largada limpa e se afastou de Sainz quando as luzes se apagaram, com Norris se mantendo em terceiro enquanto lutavam pela posição. 

Mas sua liderança não durou, com Sainz abrindo seu DRS na segunda volta para passar antes que a fumaça começasse a sair do carro da Red Bull e o holandês abandonasse. 

Sainz liderou na frente de Norris e Leclerc antes dos primeiros pit stops. 

O espanhol colocou pneus novos na 17ª volta e na metade da corrida abriu uma vantagem de 2,6 segundos em relação a Leclerc, seguido de perto por Piastri e Norris. 

Sem Verstappen para enfrentar, o espanhol gradualmente aumentou a diferença enquanto Norris ultrapassava Piastri para passar para terceiro. 

Leclerc foi para os boxes novamente e voltou em quinto com os pneus duros, mas rapidamente passou para a segunda colocação. 

Sainz também parou pela segunda vez e manteve a estreita vantagem até receber a bandeirada e comemorar diante de 130.000 torcedores. (AFP)

Classificação final do Grande Prêmio da Austrália:

  • 1. Carlos Sainz Jr (ESP/Ferrari) os 311,402 km em 1 h 20:26.843
  • 2. Charles Leclerc (MON/Ferrari) a 2.366
  • 3. Lando Norris (GBR/McLaren-Mercedes) a 5.904
  • 4. Oscar Piastri (AUS/McLaren-Mercedes) a 35.770
  • 5. Sergio Pérez (MEX/Red Bull) a 56.309
  • 6. Fernando Alonso (ESP/Aston Martin-Mercedes) a 1:20.992
  • 7. Lance Stroll (CAN/Aston Martin-Mercedes) a 1:33.222
  • 8. Yuki Tsunoda (JPN/Racing Bulls-Red Bull) a 1:35.601
  • 9. Nico Hülkenberg (ALE/Haas-Ferrari) a 1:44.553
  • 10. Kevin Magnussen (DIN/Haas-Ferrari) a 1 volta
  • 11. Alexander Albon (TAI/Williams-Mercedes) a 1 volta
  • 12. Daniel Ricciardo (AUS/Racing Bulls-Red Bull) a 1 volta
  • 13. Pierre Gasly (FRA/Alpine-Renault) a 1 volta*
  • 14. Valtteri Bottas (FIN/Sauber-Ferrari) a 1 volta
  • 15. Zhou Guanyu (CHN/Sauber-Ferrari) a 1 volta
  • 16. Esteban Ocon (FRA/Alpine-Renault) a 1 volta
  • 17. George Russell (GBR/Mercedes) a 3 voltas
  • * Penalidade de cinco segundos por cruzar a linha ao sair dos boxes
  • Melhor volta na corrida: Charles Leclerc (MON/Ferrari) 1:19.813 na 56ª volta (média: 238,066 km/h)

Abandonos:

  • Max Verstappen (HOL/Red Bull): problema nos freios 4ª volta
  • Lewis Hamilton (GBR/Mercedes): problema no motor 16ª volta
  • George Russell (GBR/Mercedes): acidente na 57ª volta

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!