ESTAVAM ENSANGUENTADOS

Dupla mata homem e é presa em bar de MG contando do crime: ‘era vacilão, roubava a mãe’

Vítima tentou pedir ajuda em mercearia, mas não resistiu; ela tinha uma dívida de R$ 70

Por Isabela Abalen
Publicado em 11 de junho de 2024 | 11:12
 
 
 

A vontade de contar sobre um acontecimento do dia acabou entregando dois homens, de 27 e 35 anos. A dupla cometeu um assassinato nessa segunda-feira (10 de junho) e foi, em seguida, para um bar de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, narrar o crime. Um dos suspeitos mostrou a roupa ensanguentada e teria dito que a vítima era “vacilona” porque “roubava a mãe”. Eles só não contavam que testemunhas os denunciariam para a Polícia Militar (PM). 

O corpo da vítima foi encontrado caído no Parque do Lado, em Brumadinho, com três perfurações de arma de fogo no abdômen. O Samu foi acionado e constatou a morte no local. Tratava-se de um homem de 39 anos. A partir daí, segundo o registro da ocorrência, os militares começaram a ouvir as testemunhas. Um depoimento colhido afirmou que, após ser alvejada, a vítima teria tentado pedir ajuda em uma mercearia. 

O homem chegou ensanguentado na porta do estabelecimento dizendo que havia sido baleado por causa de uma dívida. Ele não resistiu, mas o responsável pela mercearia percebeu a movimentação estranha de dois homens em uma moto passando naquela rua. A pessoa ainda contou que o morto era filho de uma moradora do bairro. 

Os policiais foram até a casa da vítima, que vivia com a mãe. De acordo com a Polícia Militar, o local estava sujo de sangue e cápsulas de arma de fogo estavam espalhadas. Por isso, a residência foi isolada para a perícia. A mulher deu o nome de dois suspeitos que teriam motivo para matar seu filho. Para os militares, ela disse que a vítima tinha envolvimento com o tráfico e estava devendo R$ 70 para a dupla. 

A mãe do morto ainda desabafou que o filho costumava pegar objetos da casa, sem sua autorização, para pagar dívidas de drogas. Antes do crime, a mulher discutiu com um dos suspeitos pelo telefone. O celular dela foi apreendido. 

Neste momento, os militares receberam informações de outros moradores. Eles estavam denunciando que a dupla suspeita do assassinato estava no bar, naquele momento, contando sobre a execução. No local, os policiais encontraram os dois homens com roupas ensanguentadas. No bolso de um deles, estava a chave da moto usada no crime. 

Em imagens da câmera de segurança do bar, os dois aparecem chegando ao local com o veículo. Um deles mostra a blusa cheia de sangue para o pessoal que estava bebendo e começa a falar sobre o assassinato. 

A dupla foi presa e encaminhada à delegacia. Um dos homens chegou a confessar o crime, mas voltou atrás. Já o outro se manteve em silêncio. A arma foi encontrada na lavanderia da casa de um dos suspeitos e apreendida. 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!