Prejuízo

Chuva que inundou a estação Vilarinho causou diversos danos ao metrô de BH

Durante duas horas, dois trens foram tirados de circulação por causa dos problemas; CBTU ainda contabilizou vários outros prejuízos

Por José Augusto Alves
Publicado em 02 de janeiro de 2020 | 16:56
 
 
 

Os transtornos gerados pela chuva que caiu em Belo Horizonte entre essa quarta (1º) e quinta (2) não trouxeram problemas apenas a moradores e comerciantes na região de Venda Nova. A circulação do metrô também foi afetada por causa dos danos causados pela chuva forte.

De acordo com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), na estação Vilarinho, o alagamento prejudicou a circulação das locomotivas, entre às 5h15 e às 7h30 desta quinta (2). Com a rápida elevação da água, dois trens que aguardavam na plataforma foram atingidos e tiveram que sair de circulação durante o início da manhã.  A CBTU optou por adotar a operação pendular (que é a circulação com apenas um trem acoplado utilizada só para trecho afetado). O sistema de sinalização também foi afetado parcialmente. Após às 7h30, os dois trens voltaram a circular normalmente.

A água e a lama ainda prejudicaram dois conjuntos de escadas rolantes e elevadores. Além disso, quatro máquinas de chave de aparelho de mudança de via foram queimadas. “Também será necessária a recomposição de todo o lastro (que é a brita usada para dar a suporte aos dormentes e trilhos instalados na via) e a reparação integral da grade de vedação da área de estacionamento de trens em Vilarinho, entre outros danos que ainda serão apurados”, informou a CBTU em nota.

Segundo a companhia, equipes da empresa trabalharam durante toda a noite e madrugada para garantir a circulação dos trens.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!