Gestão Zema

Governo de Minas vai diminuir multas por uso de agrotóxicos

Durante audiência na Assembleia, a secretária de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Maria Valentini, afirmou que a atual legislação do Estado estipula valor três vezes maior do que a lei federal

Ter, 18/06/19 - 16h39

O governo de Minas Gerais pretende diminuir em 67% os valores das multas aplicadas a produtores que fazem uso de agrotóxicos no Estado. De acordo com a secretária de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Maria Valentini, a atual legislação estipula valores que são o triplo do que determina a lei federal. Uma sugestão de nova redação do Decreto 41.203/2000, que regulamenta o valor das multas em Minas, já foi encaminhada para a Secretaria da Casa Civil e a de Relações Institucionais.

“Verifica-se que a atual legislação de agrotóxicos tem multas elevadas para a realidade, chegando a R$ 58.526, e R$ 107 mil em casos de reincidência. Esse montante é quase três vezes maior do que o estipulado pela legislação federal, que corresponde a R$ 19,1 mil”, detalhou a secretária durante audiência realizada na tarde desta terça-feira na Assembleia Legislativa (ALMG).

Aos jornalistas, Ana Maria explicou que a gestão do ex-governador Fernando Pimentel (PT) aumentou o valor das penalidades, “que ficaram fora da realidade do setor produtivo”. “Então, nosso trabalho é que nenhuma propriedade que cometa irregularidades deixe de ser punida, mas que essa punição seja de acordo com o seu faturamento”.

A intenção é igualar os valores do decreto estadual aos da lei federal. Apesar de abrandar a multa, Ana Maria Valentini disse que a medida não vai estimular a impunidade. “A atividade rural está completamente envolvida com o meio ambiente. Às vezes, acontecem acidentes, como um vazamento, um problema assim, em que a pessoa cometeu erro e vai ser multada. Mas ninguém quer ser multado novamente”, disse, argumentando que as punições já são altas para os empreendedores rurais.

Além das infrações por uso de agrotóxicos, a secretária pretende diminuir as multas ambientais para pequenos produtores rurais. Na audiência, ela afirmou que os valores não condizem com a situação deles.

“O pequeno produtor rural, se leva multa, o valor é o mesmo de uma pequena mineradora ou pequena indústria. Nós sabemos que o faturamento do pequeno produtor é muitas vezes menor, e precisamos trabalhar com mais atenção”, afirmou.

De acordo com a gestora, as multas ambientais aumentaram até 20 vezes nos últimos anos. “Estamos em discussão com a Secretaria de Meio Ambiente em um novo decreto para que as multas ambientais para propriedades rurais sejam compatíveis com o dano e com o tamanho delas”, afirmou.

Por enquanto, não há previsão de quando as alterações entrarão em vigor. “Esses decretos vão ser discutidos com as secretarias envolvidas, vão passar para os pareceres da assessoria técnica legislativa e também pela Secretaria de Fazenda”, disse.

Cobrança

A Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) tem atuado para incrementar os cofres do Estado por meio da cobrança de arrendamentos dos distritos florestais, localizados na região Norte de Minas e no Vale do Jequitinhonha. De acordo com a titular da pasta, Ana Maria Valentini, os processos deixaram de ser cobrados na administração do ex-governador Fernando Pimentel (PT).

“As áreas arrendadas são expressivas, no Norte (do Estado), no Vale do Jequitinhonha, que, no último governo, deixaram de ser cobradas por questões legais, contratos e aditivos que não estavam devidamente adequados. E estamos trabalhando para que esses arrendamentos voltem a ser cobrados e recolhidos para o nosso caixa”, disse, sem estimar valores, já que a secretaria ainda está finalizando o processo.

Outro anúncio feito durante a audiência na Assembleia Legislativa é que, até o fim do ano, 21 cidades mineiras serão contempladas pelo programa de revitalização do rio São Francisco, realizado pela Seapa em parceria com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf). Ao todo, serão investidos R$ 4 milhões em ações de conservação do solo e da água. 

Paralelamente a essa execução, um novo processo licitatório será realizado, em que serão contemplados mais 30 municípios mineiros e 31 sub-bacias hidrográficas do Velho Chico. “O investimento é em torno de R$ 7 milhões, que serão executados em 2020”, disse a secretária. Os recursos são da Codevasf, que transfere os valores para que a Seapa faça a execução.

A Seapa está trabalhando ainda num projeto lei de incentivo à piscicultura. A ideia, segundo informou a gestora, é aumentar a produção de peixes em Minas. “Estamos desenvolvendo o projeto em parceria com a Associação de Piscicultores. O Estado é rico em água, mas com uma produção de peixes muito abaixo do consumo. Nosso objetivo é esse, viabilizar a regularização para que possamos aumentar a produção de peixe no Estado”. O projeto deve ser enviado em breve ao Legislativo estadual. 

Podcasts Relacionados

(8) comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Geral Dino 9:30 AM Jun 19, 2019
Ainda bem que não votei nesse Zema e sem chance de votar em partido "novo" daqui para frente. Eles com certeza só comem verduras orgânicas caríssimas. Quando o Estado estiver todo contaminado é só juntarem as coisas e mudarem para outro lugar. Nós vamos ficar aqui com uma terra devastada pelas mineradoras e agrotóxicos.
0
Denunciar

Lucas 7:57 PM Jun 18, 2019
É a "nova política"...
0
Denunciar

F. FREITAS 6:52 PM Jun 18, 2019
A imbecilidade humana não tem limites, diminuir a multa de quem envenena a população? O que esse governo está ganhando com isso? Deveriam monitorar as movimentações bancárias dessa turma. O estado quebrado, parcelando salários, sem dinheiro para obras necessárias e essa turma preocupada em aliviar quem usa produtos proibidos e cancerígenos ?
0
Denunciar

CARLOS ALBERTO 8:14 PM Jun 18, 2019
TEM GENTE GANHANDO E MUITO COM ESSA HISTORIA
0
Denunciar

Esteves 6:43 PM Jun 18, 2019
A vontade é de nao almoçar e nem jantar nunca mais nessa vida, só impostos pra deixar tudo mais caro e agrotoxicos.
0
Denunciar

Maria Silva 6:21 PM Jun 18, 2019
De onde surgiu essa mulher? Aposto que é mais uma comissionada para inchar a folha de pagamento do estado. Como se o estado não tivesse duas universidades com cursos de pós graduação em meio ambiente, agronomia etc. Por que não pegou um dos professores doutores para não onerar a folha? Deve ser para fazer bonito para algum apadrinhado. Isso de NOVO não tem nada!
0
Denunciar

CARLOS ALBERTO 5:57 PM Jun 18, 2019
PARTIDO NOVO TA BOM ISSO AI E GOVERNO PETISTA O QUE VALE E O QUE OS DONOS DE EMPRESAS PAGAM BANDO DE LIXOS ZENA GOVERNO CHUCHU COM AGUA NAO FAZ NADA BEM FEITO PARA ESSE BANDO DE MINEIROS IDIOTAS QUE DEPOIS DE UM LADRAO PIMENTEL TEM UM GOVERNO CHUCHU BEM FEITO
2
Denunciar

Mateus Ferreira 4:52 PM Jun 18, 2019
Tenho a leve sensação de que tanto o Governo Federal quanto o Governo Estadual não se importam com a nossa saúde. Ou simplesmente só querem nos matar.
0
Denunciar

Leia mais
LEIA MAIS
Periculosidade
Multa de R$ 9 mi
Saia justa
Cortes
Queda de braço
Aval dado
'Mais nada'
ANTT
População carcerária
Partido de Bolsonaro