Alemanhã

Maior parte das joias roubadas de museu é recuperada três anos depois

No total, 31 peças completas ou fragmentos foram encontrados

Por Agências
Publicado em 17 de dezembro de 2022 | 14:28
 
 
 

Uma "parte considerável" das joias roubadas há três anos de um museu em Dresden, no leste da Alemanha, foi encontrada na madrugada deste sábado (17) em Berlim, informaram as autoridades. 

No total, 31 peças completas ou fragmentos foram encontrados, incluindo uma insígnia da Ordem Polonesa da Águia Branca, anunciaram a polícia de Dresden e o Ministério Público. 

A descoberta coincidiu com o julgamento, iniciado em janeiro, de seis suspeitos acusados deste roubo espetacular, que remonta a novembro de 2019. 

Suspeita-se que eles tenham entrado no famoso museu Green Vault (Grünes Gewölbe) em Dresden em 25 de novembro de 2019 e roubado 21 joias, que somavam mais de 4.300 diamantes, um deles medindo 49 quilates, com valor segurado total de pelo menos 113,8 milhões de euros (120,4 milhões de dólares).

Até o momento, os réus não se pronunciaram no processo. 

A maior parte das joias foi recuperada graças às “negociações exploratórias” realizadas entre a defesa e a acusação, com vista a uma possível solução neste julgamento e à restituição das peças ainda existentes, segundo um comunicado. 

As autoridades não forneceram mais detalhes neste momento. A próxima audiência será na terça-feira.

Os itens apreendidos já foram transferidos de Berlim para Dresden sob a proteção das forças policiais especiais. Eles devem ser examinados por especialistas das coleções de arte de Dresden, que verificarão sua autenticidade. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!