Josias Pereira
@josiaspereira
23/11/21
17h33

História de vida

Com doação de ingressos, cruzeirense retribui paixão que lhe deu propósito

Matheus Gonçalves é baiano e encontrou na Raposa refúgio após perda da mãe; em mobilização contra o Náutico, ele ajudou torcedores celestes a irem ao Mineirão

Matheus Gonçalves fez aquele registro no Mineirão durante visita ao estádio — Foto: Reprodução / Twitter
Josias Pereira | @josiaspereira
23/11/21 - 17h33

O Mineirão receberá um grande público para a última partida do Cruzeiro na temporada 2021. O ano do centenário não terminou da maneira que o torcedor celeste esperava. Contra o Náutico, nesta quinta-feira (25), às 20h, o torcedor celeste não vai comemorar o acesso. Não será desta vez que o sofrimento da segunda divisão vai se apartar da nação cinco estrelas. Porém, mesmo com incógnitas e a esperança de dias melhores em 2022, os cruzeirenses darão mais uma prova de amor ao time.

Já são 50 mil ingressos vendidos para uma partida que, tirando as despedidas de Rafael Sóbis e Ariel Cabral, não teria tecnicamente atrativo nenhum e marcaria a melancolia de um time que mais uma vez desapontou na missão que lhe foi passada. Porém, o futebol é movido pela paixão. Sentimento que apenas quem é torcedor pode explicar, seja nas boas e más horas. É o caso de Matheus Gonçalves Souto, 22 anos. 

O auditor fiscal reside em Porto Seguro, onde é presidente do reduto celeste da cidade. Impossibilitado de vir a Belo Horizonte por causa do trabalho, ele teve a ideia de doar ingressos para que torcedores cruzeirenses possam ir ao Mineirão nesta quinta-feira (25). A ideia começou disponibilizando cinco inteiras ou 10 meias. Porém, com a ajuda de inclusive financeira de outros torcedores, Matheus já tinha conseguido ajudar quase 60 pessoas nesta terça-feira (23) com ingressos para a despedida celeste de 2021. 

Ao Super.FC, ele contou sobre sua paixão pelo Cruzeiro e as aventuras que já fez pelo clube. Poder ajudar outros torcedores a vivenciarem tais experiências é para Matheus a prova de que o Cruzeiro é mais do que um time, é uma família. 

"Eu tenho 22 anos, nasci e moro em Porto Seguro, Bahia. Tive a oportunidade de ir ao Mineirão duas vezes, 2018 em Cruzeiro x Racing-ARG, e 2019 no clássico do segundo turno do Brasileirão. Nesse jogo contra o Atlético, peguei um voo na manhã de domingo, cheguei cedo em Belo Horizonte, assisti talvez o pior jogo da minha vida, e voltei num voo 22:30 no mesmo dia, porque trabalhava no dia seguinte", contou Matheus.

"Queria muito poder estar aí na quinta-feira (25), mas não posso por conta do trabalho. Eu sou fascinado em ver o Mineirão lotado, com todos cantando. Sempre fui a favor de 50 mil pagando 10 reais, do que 10 mil pagando 50. Hoje, eu tenho condições de ajudar, sabe? Então eu tive a iniciativa assim que o perfil oficial postou mantendo os preços populares. A princípio eu ofereci 5 inteiras ou 10 meias, mas foi tanta gente, que ontem (segunda-feira) mesmo eu ajudei mais de 20 pessoas, com meias e inteiras, três torcedores me chamaram me oferecendo dinheiro pra poder continuar ajudando, um mandou 40 reais, outro 330 e um mandou mais 30. Aí eu estendi a ajuda, já consegui ajudar quase 60 pessoas com ingressos. O Cruzeiro não é só um time, Cruzeiro é família, e pelo menos enquanto eu existir, ele jamais estará sozinho!", acrescentou Matheus, em contato com o Super.FC. 

O forte amor pela Raposa vem também de um episódio difícil vivido pelo torcedor. Matheus perdeu sua mãe em 2010, quando ela acabou sofrendo um derrame cerebral e não resistiu. O Cruzeiro tornou-se então um refúgio para o auditor fiscal, paixão que mesmo em meio às dificuldades tornou-se ainda mais intenso. 

"Devo a minha vida a esse time. Perdi minha mãe em 2010, e o Cruzeiro foi quem me manteve vivo, era onde eu me sentia bem, sempre foi o meu refúgio, era a única coisa que me fazia esquecer todas as coisas ruins. Ele não me deixou sozinho, e eu também não deixarei ele. Não consigo explicar, mas ser Cruzeiro é bom demais", exaltou Matheus. 

"Minha mãe teve um derrame cerebral, foi uma semana de luta, resistiu até três paradas cardíacas. Eu sempre acreditei em propósito, mesmo não tendo religião. Sei que ela está em um bom lugar. É sempre muito difícil, só quem passa sabe, mas a gente é forte. O Cruzeiro é o grande responsável de eu estar aqui, te garanto", reforçou o torcedor ao contar sua história à reportagem.  

O exemplo de Matheus também inspirou outros torcedores do Cruzeiro, que vêm também auxiliando outros celestes que têm o desejo de ir ao Mineirão e que estão atravessando dificuldades financeiras ou de qualquer outro tipo. É a mobilização da China Azul, que vai fazendo a sua parte e dando o apoio incondicional. 

 

 

---

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar.

Siga O TEMPO no Facebook, no Twitter e no Instagram. Ajude a aumentar a nossa comunidade.

Escreva um comentário
Comentar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000