Da Redação
@superfcoficial
13/08/20
16h21

Vitória na Justiça

Cruzeiro consegue liminar e bloqueia R$ 6,8 milhões das contas de Wagner e Itair

Clube teve pedido indeferido em primeira instância, mas desembargador da 14ª Vara Cível determinou arresto cautelar

Da Redação | @superfcoficial
13/08/20 - 16h21

A ação que envolve o Cruzeiro, dirigentes da gestão passada e a empresa de um dos antigos membros da diretoria teve novo capítulo nesta quinta-feira (13) e, dessa vez, favorável ao clube celeste. A Raposa conseguiu, através de liminar concedida pelo desembargador Marco Aurélio Ferenzini, da 14ª Câmara Cível de Belo Horizonte do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o bloqueio de R$ 6.861.243,06 nas contas dos ex-dirigentes Wagner Pires de Sá e Itair Machado. 

Tudo começou com o processo que o clube moveu na tentativa de bloquear o valor das contas dos citados. Mas, em um primeiro momento, a Justiça, através da 35ª Vara Cível de Belo Horizonte, indeferiu pedido de bloqueio dos quase R$ 7 milhões nas contas de Wagner Pires de Sá, Itair Machado e da empresa Futgestão.

Assim, o atual departamento jurídico da Raposa protocolizou agravo de instrumento no TJMG contra a decisão inicial da ação de reparação de prejuízo que move contra os ex-dirigentes. Nesta quinta-feira (12) o clube conseguiu o bloqueio alegando 'contratos nulos e fraudulentos' cometidos pela gestão passada.

Outro lado

De acordo com Itair Machado, em relação ao ingresso da ação movida pelo clube, o dirigente alegou estranheza e que nenhuma irregularidade procedia.

"Diante dessa notícia, que implica na contratação irregular de serviços prestados na Gestão do Futebol não procede, pois além do cargo de Vice -Presidente de Futebol, foram criados através de portaria interna do clube, os seguintes cargos de Vice presidente Executivo:

1)Vice-Presidente Executivo Financeiro, 2) Vice- Presidente Executivo comercial e MKT 3) Vice- Presidente Executivo jurídico, 4)Vice-Presidente Executivo de Futebol.

O Estatuto do Clube não proíbe remunerar pelos serviços prestados, declarados e com os impostos já recolhidos, não se trata de Vices Presidentes eleitos em assembleia. Causa estranheza, o fato de não terem ingressado com os mesmos pedidos em desfavor dos demais Vices Presidentes Executivos, que foram remunerados e nomeados no mesmo período pelo qual e descrito nessa ação temerária e pessoal. No mais continuo a disposição para quaisquer esclarecimentos", comunicou o dirigente.

Já o ex-presidente Wagner Pires de Sá alegou que nunca foi remunerado enquanto esteve no cargo de presidente e que a remuneração de dirigentes vem de outras gestões.

Decisão

Mas a decisão proferida pelo desembargador Marco Antônio Ferenzini diz o contrário. Segundo o documento, "o Presidente do Cruzeiro Esporte Clube não tem competência para decidir, pelo que haveria de convocar o Conselho Deliberativo (Inciso XIV, Artigo 20 c/c Artigo 79, dos Estatutos) para que a instância competente decidisse, ficando, destarte, comprovado que não está entre as competências do Presidente do Cruzeiro Esporte Clube decidir se o cargo de Vice-Presidente de Futebol poderia ser remunerado"

E que o fato de o vice-presidente do Cruzeiro na época, Itair Machado ser remunerado, no histórico do clube, não havia tal ação, conforme diz o trecho: "foi provado que a prática histórica no Cruzeiro Esporte Clube é a de que o cargo de Vice-Presidente de Futebol, ao longo dos anos, não é remunerado, podendo o seu ocupante contratar Diretor de Futebol remunerado para desempenhar as funções sob sua hierarquia".

 

 

Escreva um comentário
Comentar

Ver todos
Fechar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000