Literatura

Eliane Potiguara e Geni Núñez em Belo Horizonte

No mês em que se comemora os Povos Originários, o projeto Literatura no Palladium abre a programação recebendo duas mulheres indígenas

Por Laura Conrado
Publicado em 16 de abril de 2024 | 10:20
 
 
 

Duas gerações de mulheres indígenas se encontram no palco no Sesc Palladium nesta quinta, 18 de abril. As celebradas autoras Eliane Potiguara, de 73 anos, e Geni Núñez, de 33, estarão na capital mineira para debater o tema “Memória, Afeto e Ancestralidade” e lançar seus respectivos livros O vento espalha minha voz Originária e Descolonizando afetos: experimentações sobre outras formas de amar.

Eliane Potiguara e Geni Núñez são conhecidas tanto no meio acadêmico como pelo grande público, sendo comumente citadas e celebradas nas redes sociais. Belo Horizonte as receb na semana em que se reflete sobre os povos indígenas.

A escritora Eliane Potiguara também poeta, professora, formada em Letras (Português-Literatura) e Educação, pela UFRJ, especializada em Educação Ambiental pela UFOP. É da etnia Potiguara, brasileira, é fundadora da 1ª organização de mulheres indígenas GRUMIN / Grupo Mulher-Educação Indígena (1988), embaixadora da Paz pelo Círculo de Embaixadores da França e Suíça. Trabalhou pela Declaração Universal dos Direitos Indígenas na ONU em Genebra. Em 2021 recebeu o título de Doutora Honoris Causa pela UFRJ, onde estudou no início da década de 70. É a 1ª mulher indígena a recebê-lo no Brasil. Recebeu do governo brasileiro o Título de Cavaleiro da Ordem ao Mérito Cultural em 2014. Foi indicada em 2005 ao Projeto Internacional "Mil Mulheres ao Prêmio Nobel da Paz". Seu livro carro-chefe é “METADE CARA, METADE MÁSCARA”, pela Global Editora, 2004 e em 2019, pela GRUMIN EDIÇÕES. Ganhou o Prêmio do PEN CLUB da Inglaterra e do Fundo Livre de Expressão, USA pelo seu livro “A Terra é a Mãe do Índio”. Possui vários livros infantis e textos, pensamentos e poesias em antologias nacionais e internacionais. Acaba de lançar seu oitavo livro O vento espalha minha voz originária e pode ser encontrada no perfil @elianepotiguara.

Atravessada pela poética de seu povo, a ativista indígena Guarani, psicóloga e escritora Geni Núñez também é psicóloga e doutora pelo Programa de Pós graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (UFSC) e mestrado em Psicologia Social. É membro da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Conselho Federal de Psicologia (CFP) e da Articulação Brasileira de Indígenas Psicólogos/as (ABIPSI). É co-assistente da Comissão Guarani Yvyrupa (CGY). É autora dos livros “Descolonizando afetos: experimentações sobre outras formas de amar” (Editora Planeta de livros, 2023) e do livro infantil “Jaxy Jatere, o saci Guarani” (Editora Harper Kids/ Harper Collins, 2023). Rede Sociais: @genipapos

O evento acontece no dia 18 de abril, quinta-feira, às 19h30, no Grande Teatro do Sesc Palladium e conta com a mediação de Daniela Muradas, coordenadora do programa Falas indígenas e cenários institucionais na UFMG. Após a conversa, as convidadas autografam suas obras.


Literatura no Palladium


O projeto Literatura no Palladium é uma apresentação artístico literária tendo a linguagem da literatura como foco, recebendo escritores, artistas, mediadores. Em 2023, aconteceram duas edições no Grande Teatro do Sesc Palladium com os escritores Geovani Martins, Luiza Romão e Elisama Santos, lançando seus livros com bate-papos mediados e sessão de autógrafos ao final do evento. 

Literatura no Palladium com Geni Núñez e Eliane Potiguara
Dia 18 de abril, quinta-feira, às 19h30
Local: Grande Teatro do SESC Palladium - Rua Rio de Janeiro, 1046 - Centro
Entrada/Ingressos: Ingressos no valor de R$ 5,00 (inteira), com retirada pelo site Sympla e na bilheteria do teatro.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!