vivo

Vídeo mostra que idoso levado morto ao banco foi à UPA no dia anterior

Imagens revelam Paulo Roberto Braga entrando na unidade de saúde com Érika de Souza Vieira Nunes

Por O Tempo
Publicado em 17 de abril de 2024 | 19:37
 
 
 
normal

Foram divulgadas novas imagens de Paulo Roberto Braga, antes de ser levado morto a uma agência bancária por Érika de Souza Vieira Nunes. No dia anterior ao suposto crime, ocorrido na terça-feira (16), a mulher levou o idoso de 68 anos a uma Unidade de Pronto-Atendimento de Bangu, no Rio de Janeiro.

As imagens geradas na segunda-feira (15) mostram Braga em uma cadeira de rodas, mas movimentando as mãos. Em um vídeo, é possível observá-lo movimentando o braço no momento anterior à entrada no local. Era Érika quem o levava na cadeira de rodas.

Veja vídeo:

O que aconteceu?

Érika de Souza Vieira Nunes chegou a um banco em Bangu, zona oeste do Rio de Janeiro com Paulo Roberto Braga, de 68 anos, em uma cadeira de rodas. Ele seria tio da mulher e estava com um empréstimo pré-aprovado na instituição. Para concluir a operação, de R$17 mil, era necessário a assinatura de documentos presencialmente. Foi durante esse processo que atendentes da agência perceberam que algo não estava bem.

Momento foi registrado em vídeo?

Em imagens gravadas no local, o idoso aparece desacordado em uma cadeira de rodas e não responsivo às interações da mulher, que faz perguntas e comentários. Ela chega a perguntar se o homem está ouvindo e pede para que ele assine documentos solicitados pelo banco. "O senhor precisa assinar. Se o senhor não assinar, não tem como", diz em um trecho.

Como a morte foi constatada?

Funcionários do local alertaram a mulher sobre a aparência do idoso, que estava pálido e sem reações, e em seguida acionaram a polícia. Médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também estiveram no local e constataram a morte do idoso, que teria acontecido horas antes. De acordo com a Polícia Civil, o corpo do homem foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), onde as causas da morte estão sendo apuradas.

A suspeita foi presa?

A mulher foi encaminhada para a 34ª DP (Bangu), onde foi autuada em flagrante por tentativa de furto mediante fraude e vilipêndio a cadáver. Segundo a advogada Ana Carla Correa, que representa Érika no caso, a mulher foi transferida para a Casa de Custódia de Benfica, onde aguarda audiência que deve acontecer nesta quinta-feira, 17.

A defesa não se manifestou sobre as cenas gravadas por funcionários do banco e disse aguardar resultados de exames de necrópsia que ainda não foram concluídos.

(Com Estadão Conteúdo)

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!