EM SÃO JOÃO DEL REI

Idoso mata a ex-mulher na garagem de prédio em MG: 'fui chamado de velho e corno'; veja vídeo

Homem foi preso na Zona da Mata enquanto tentava fugir para o Rio de Janeiro

Por Lucas Gomes
Publicado em 11 de maio de 2024 | 13:33
 
 
 

Uma biomédica, de 40 anos, foi morta na garagem do prédio onde morava em São João del Rei, no Campo das Vertentes, nessa sexta-feira (10 de maio). O suspeito do crime é o ex-companheiro da vítima, de 64 anos. Ele foi preso em Matias Barbosa, na Zona da Mata, enquanto tentava fugir para o Rio de Janeiro. 

A Polícia Militar e o Samu foram acionados para o prédio onde ocorreu o crime. A mulher foi encontrada morta no banco do motorista do carro.  Testemunhas disseram que a mulher chegou ao local, realizou uma manobra para entrar com o carro na garagem e logo depois um homem, que já estava em outro carro estacionado na rua, aproveitou o portão aberto da garagem e acessou o local. 

Vizinhos relataram que o homem gritava para a mulher descer do carro, enquanto a vítima gritava que não iria sair e pedia para não morrer. Em seguida, foram ouvidos ao menos seis disparos de arma de fogo, antes de o homem voltar para o carro e fugir. Toda a ação durou cerca de 40 segundos. 

Um cunhado da vítima relatou que ela estava em briga judicial com o ex-companheiro por conta da separação e da guarda do filho do casal. O idoso teria ameaçado a mulher de morte. Recentemente, ele voltou da Europa, onde passou 20 dias. Com base nas informações de que o suspeito tinha parentes no Rio de Janeiro, foi feito contato com a equipe policial da Zona da Mata, que encontrou o suspeito na BR-040. Ele ainda estava com as mesmas roupas usadas no crime. 

Aos militares, o suspeito relatou que teve união estável com a vítima por 14 anos, mas que nos últimos anos a mulher teve outros relacionamentos e sempre “o chamava de velho”. Ele alegou que nessa sexta-feira foi até a casa da mulher para tentar reatar mais uma vez o relacionamento, mas “foi ignorado, destratado, humilhado, sendo chamado novamente de velho e corno”. Por isso ele alega que “perdeu o juízo” e realizou cinco disparos de arma de fogo contra a vítima antes de fugir. 

A arma usada no crime não foi encontrada pela Polícia Militar. A perícia constatou que a mulher foi atingida por quatro disparos no peito. O corpo foi encaminhado para o IML e o idoso preso por homicídio. 

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!