INGLATERRA

Mulher perde a memória após ter orgasmo intenso durante sexo com o marido

Quadro foi descrito por médicos como amnésia global transitória

Por O TEMPO
Publicado em 28 de maio de 2024 | 10:08 - Atualizado em 28 de maio de 2024 | 10:10
 
 
 

O que era para ser um momento de prazer acabou se transformando em um drama para a inglesa Polly Fisher, de 58 anos. Segundo o Daily Star, a mulher teve um orgasmo tão intenso durante a relação sexual com o marido Mick Thacker, que acabou perdendo a memória.

Mulher perde a memória após ter orgasmo durante sexo com o marido| FotoReprodução / Facebook
Mulher perde a memória após ter orgasmo durante sexo com o marido | Reprodução / Facebook

Em conversa com o tabloide britânico, o casal contou como tudo aconteceu. Segundo o marido, Mick, ele havia voltado da academia e encontrou Polly tomando banho.

“Ela estava incrível como sempre, e uma coisa levou à outra. Fizemos sexo. Não demorou muito: uma rapidinha e nada incomum. Mas me lembro que Polly teve um orgasmo realmente massivo, muito mais intenso do que me lembro dela ter tido antes”, detalhou.

Após o momento íntimo, o casal decidiu tomar um café. Entretanto, 15 minutos depois, o pânico se instaurou, quando Polly disse estar se sentindo estranha. “Ela parecia um pouco vaga. Ela se sentou e começou a entrar em pânico. Ela começou a chorar. Ela dizia: ‘Estou com medo. Estou com medo’. Achei que ela estivesse tendo um derrame”.

O marido de Polly imediatamente ligou para a emergência e a mulher foi encaminhada para o Rotherham General Hospital. Na unidade de saúde, Fisher recebeu atendimento, mas seu caso deixou os médicos perplexos. Isso porque a mulher de 58 anos não apresentava qualquer outro sintoma de AVC (acidente vascular cerebral), a não ser pela falta de memória a curto prazo. Ela chegou ao hospital falando de maneira coerente e suas tomografias, ressonâncias magnéticas e outros exames não apresentaram qualquer anomalia.

A mulher também se lembrava do marido, mas não se lembrava que eles tiveram relações sexuais no chuveiro, qual era a data e nem de quem era o primeiro-ministro do Reino Unido. Mick chegou a lhe dizer as respostas, mas Polly as esquecia instantaneamente.

“Foi a coisa mais assustadora que já testemunhei. Achei que ela estava tendo um derrame. Na ambulância, todos os planos que havíamos feito para nossa aposentadoria juntos passaram pela minha cabeça. Estava tudo acabado. Achei que estava tudo acabado, a menor mudança de vida para nós dois”, disse ele.

Durante o atendimento, os médicos constataram que Polly teria sofrido de um ataque isquêmico transitório – curto período de sintomas parecidos com os de um AVC, mas causado por um bloqueio do fluxo sanguíneo para o cérebro. 

A condição é caracterizada por amnésia anterógrada e retrógrada de início súbito e dura, normalmente, até 24 horas. Segundo os médicos, a amnésia global transitória, mesmo com causa incerta, pode ser causada por sexo, ainda que raramente.

Embora chocante, a condição é inofensiva e não deixa sintomas de longo prazo. Após dois dias, o diagnóstico foi confirmado e Polly recebeu alta. No entanto, foi informada que isso poderia voltar a acontecer.

“Ainda não me lembro do que aconteceu comigo. Perdi cerca de sete horas da minha vida”, confessou Polly.

Mick, por sua vez, sentiu alívio, apesar do constrangimento que a história gerou em seu círculo de amigos. “Achei que iria voltar lentamente, mas já se passou um mês e não há nada (…) Agora que ela está bem e sabemos o que causou isso, podemos rir disso”, admitiu.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!