coletiva de imprensa

Foi uma 'implosão catastrófica', afirma Guarda Costeira sobre submarino Titan

Os destroços são consistentes com uma implosão catastrófica, disse contra-almirante da Guarda Costeira sobre submersível

Por O Tempo
Publicado em 22 de junho de 2023 | 16:29
 
 
 
normal

A Guarda Costeira dos Estados Unidos confirmou que os destroços encontrados no Atlântico Norte seriam do submarino Titan, que estava desaparecido desde domingo (18), quando tentava se aproximar do que restou do Titanic. Todos os cinco tripulantes morreram por causa de uma implosão catastrófica, segundo o representante da entidade, durante coletiva realizada nesta quinta-feira (22).

De acordo com a Guarda, não será fácil determinar uma linha do tempo de eventos que podem ter levado à destruição do submarino Titan. A OceanGate, empresa responsável pelo submersível, confirmou a morte dos passageiros e tripulantes

A entidade encontrou um "campo de destroços" que indicaria que houve uma implosão durante o percurso do submersível até o local onde está o Titanic. "Este é um ambiente incrivelmente implacável lá no fundo do mar e os destroços são consistentes com uma implosão catastrófica da embarcação", afirmou John Mauger, contra-almirante da Guarda Costeira dos EUA, durante entrevista a repórteres, em Boston.

+ Veja também: Quem são os cinco passageiros do Titan?

As equipes de buscas descobriram "cinco grandes pedaços diferentes de detritos" identificados como pertencentes ao submersível Titan, de acordo com a Guarda Costeira. 

Segundo Mauger, os especialistas estão examinando um "ambiente operacional incrivelmente complexo no fundo do mar, mais de 2 milhas abaixo da superfície". 

Mauger disse ainda que as buscas pela recuperação dos corpos dos passageiros continuarão, apesar de um ambiente desafiador. Mas as nove embarcações e as equipes médicas que trabalhavam nas buscas serão desmobilizadas nas próximas 24 horas, de acordo com o contra-almirante.

Robô encontra destroços

Na manhã desta quinta-feira, um ROV (sigla para veículo de controle remoto em inglês) encontrou "um campo de destroços" espalhados a menos de meio quilômetro do Titanic, a quase 4.000 metros de profundidade e a 600 km da costa. Entre os destroços encontrados está a cauda do submarino, explicou Mauger em uma coletiva de imprensa.

Além disso, outras quatro grandes peças que confirmaram a "implosão catastrófica" do submarino, que tinha 6,5 metros de comprimento. Nenhuma das boias sonares presentes constantemente na água havia detectado algo especial, de acordo com a guarda-costeira dos Estados Unidos.

Desaparecimento no domingo

A comunicação com o submersível Titan, de 6,5 metros de comprimento, foi perdida no domingo, quase duas horas depois de iniciar a descida em direção aos vestígios do mítico transatlântico, que se encontram a quase 4.000 metros de profundidade, a cerca de 600 quilômetros de Terra Nova, no Atlântico Norte.

A detecção de ruídos subaquáticos na área das buscas nos últimos dias reacendeu a esperança de encontrar o submersível e concentrou as buscas dos navios e aviões próximo ao local do naufrágio do Titanic. 

Uma dezena de barcos de diversos países, entre eles Canadá, Estados Unidos, França, assim como de empresas privadas e veículos por controle remoto integraram o dispositivo internacional que participou das buscas pelo submersível.

(Com AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!